Rival do Google Workspace, Zoho cresce 120% após fim do G Suite grátis

Devido à migração de usuários de Google após o anúncio do fim do G Suite grátis, Workplace da Zoho cresce 120% e atinge 16 milhões de clientes no mundo

Pedro Knoth
Por

A Zoho, rival do Google Workspace, teve recorde de crescimento desde que a concorrente anunciou o fim do G Suite gratuito, entre meados de janeiro e o começo de fevereiro. A empresa, que também possui uma plataforma colaborativa para profissionais, o “Workplace”, comunicou em nota que a migração de domínios vinda do Google cresceu 120%. A companhia agora atende 16 milhões de clientes ao redor do mundo.

Workplace, da Zoho, ganha espaço com migração de usuários de plataformas rivais como G Suite (Imagem: Zoho/ Divulgação)

Em meados de janeiro, o Google anunciou o fim do G Suite de graça. O plano legado gratuito da empresa, lançado há 16 anos, será encerrado para usuários no dia 1 julho, e todos os clientes deverão migrar para o Google Workspace, que tem planos a partir de R$ 24,30 por mês por pessoa.

Recorde vem de migração de Google e Microsoft

Ao comemorar o recorde de usuários, a Zoho observou uma grande migração dos planos de G Suite para seu próprio Workplace. A empresa atribui a marca de 16 milhões de usuários ao aumento de preço dos concorrentes, incluindo o Microsoft 365 no Brasil, assim como uma crescente procura pelos “mais altos padrões de privacidade do usuário” em plataformas colaborativas.

Com mais de dois anos de pandemia, a Zoho já vinha crescendo em base de usuários. Em 2021, sua plataforma de Workplace cresceu 34%, com uma migração de 40% de contas vindas de serviços de Microsoft e Google. “A Zoho é a única entre seus concorrentes de suítes de produtividade que não aumentou custos em 2022 e nem removeu as suas ofertas ‘freemium’”, disse Thomas Randall, analista do Info-Tech Research Group.

Zoho tem plano mensal a partir de US$ 1 por mês

Os preços de planos da Zoho começam com a opção mais barata, o Zoho Mail, que custa US$ 1 ao mês — US$ 12, ou R$ 63,94 por ano, na atual cotação do dólar. As outras duas versões do serviço, Padrão e Profissional, vêm em US$ 3 e US$ 6 mensais, respectivamente.

Há uma opção apenas do serviço de hospedagem de e-mail da Zoho que é gratuita para até 5 usuários distintos.

Dentre as opções pagas, o Zoho Mail oferece hospedagem de e-mail para vários usuários, assim como roteamento para os endereços. Além disso, o plano mais barato também dá acesso à ferramenta de streaming e de calendário da Zoho.

Já os outros dois planos, o Zoho Padrão e o Profissional, dão acesso ao Meeting, plataforma de videoconferência da empresa. O plano de US$ 6 mensais garante acesso ao Workdrive — funciona de forma parecida com o Google Drive — com limite de upload de 1 GB.

De acordo com Randall, outras plataformas aumentaram os preços para capitalizarem no lucro que seus clientes tiveram durante a pandemia, ao usarem plataformas corporativas como o G Suite ou OneNote, presente no pacote Microsoft 365. “No entanto, as ofertas ‘freemium’ e a manutenção dos preços têm sido fundamentais para muitos clientes e empresas se manterem vivos e ativos durante os lockdowns da pandemia”, acrescentou o analista.

Quanto aos clientes que migraram para a Zoho, a plataforma registrou um aumento de 40% de pequenos empreendimentos como clientes, seguido 36% de negócios de médio porte e, por fim, 20% de grandes empresas.

Relacionados

Relacionados