Starlink vai perder 40 satélites de internet por causa de tempestade solar

Starlink ativou "modo de segurança" para proteger satélites de tempestade solar, mesmo assim, cerca de 40 unidades serão perdidas

Emerson Alecrim
Por

Recentemente, a SpaceX ultrapassou a marca de 2 mil satélites lançados para o serviço de internet Starlink. É de se esperar que, no meio de um número tão expressivo, haja algumas perdas. Mas não de tantas unidades ao mesmo tempo: por causa de uma tempestade solar (ou tempestade geomagnética), cerca de 40 satélites lançados recentemente serão perdidos.

Falcon 9, da SpaceX, em lançamento de satélites Starlink (Imagem: divulgação/SpaceX)
Falcon 9, da SpaceX, em lançamento de satélites Starlink (Imagem: divulgação/SpaceX)

As unidades ameaçadas fazem parte de um lote de 49 satélites Starlink que foram lançados em um foguete Falcon 9 em 3 de fevereiro. O problema é que, um dia após a decolagem, uma tempestade geomagnética ocorreu. O evento impediu que os satélites chegassem à sua órbita de operação.

Se esse acontecimento causasse apenas um atraso no cronograma de ativação dos satélites, a situação seria facilmente administrada. Mas, como já ficou claro, a tempestade causará a perda da maioria dos 49 satélites.

O que é uma tempestade geomagnética?

O Space Weather Prediction Center, entidade ligada à Administração Oceânica e Atmosférica Nacional dos Estados Unidos, descreve uma tempestade geomagnética como um evento que ocorre quando há uma troca muito intensa de energia do vento solar com o ambiente espacial ao redor da Terra.

Essas tempestades causam variações no campo magnético do planeta e, consequentemente, podem interferir na operação ou movimentação de satélites. Foi o que aconteceu com as unidades Starlink.

A SpaceX explica que as tempestades solares fazem a atmosfera se aquecer e gerar um aumento do arrasto atmosférico, isto é, da resistência ao movimento dos satélites. De acordo com a companhia de Elon Musk, o arrasto no último envio de satélites foi 50% maior na comparação com lançamentos anteriores.

Em uma tentativa de proteger os satélites da tempestade, uma equipe da Starlink ativou um modo de segurança nas 49 unidades que, essencialmente, fez elas voarem em posição lateral — “como uma folha de papel”, explica a SpaceX.

Essa posição diminui o arrasto. No entanto, análises preliminares indicam que, apesar dos esforços da equipe que lidou com o problema, houve um arrasto em baixas altitudes que impediu os satélites de sair do modo de segurança e iniciar os movimentos para elevação de órbita.

Antena da Starlink (Imagem: divulgação/SpaceX)
Antena da Starlink (imagem: divulgação/SpaceX)

A SpaceX estima que, como consequência, até 40 dos 49 satélites Starlink lançados na semana passada entraram ou entrarão na atmosfera terrestre.

Há “risco zero” de, nesse processo, haver colisão com outros satélites, afirma a companhia, que também explica que nenhum detrito orbital será gerado e que nenhuma parte dos satélites cairá na superfície terrestre — as unidades queimarão completamente ao entrar na atmosfera.

“Essa situação singular demonstra o grande esforço da equipe da Starlink para assegurar que o sistema esteja na vanguarda da mitigação de detritos em órbita”, finaliza a SpaceX.

O prejuízo que a perda dos cerca de 40 satélites Starlink causará à companhia não foi revelado. De todo modo, o incidente não afetará o fornecimento de internet ou o plano de expansão da rede de satélites do serviço.

Com informações: CNET.

Relacionados

Relacionados