Bowser, o pirata do Nintendo Switch, é condenado a 3 anos de prisão

Hacker da Nintendo com nome de vilão do Super Mario foi condenado após também ter que pagar multa milionária

Felipe Vinha
Por

Deu ruim para o Bowser na vida real. O hacker e membro do grupo Team-Xecuter que vendeu softwares para desbloquear o Switch foi condenado a três anos e quatro meses de prisão. Gary W. Bowser já havia sido condenado, em dezembro de 2021, a pagar US$ 10 milhões em indenização para a Nintendo, mas agora a situação piorou.

Hacker Bowser vai para a cadeia por conta da Nintendo (Imagem: Reprodução/M1PST)

A própria Nintendo emitiu um comunicado para atualizar a imprensa sobre a situação, mas ao que parece a condenação de prisão finaliza o caso, que já se estendia desde outubro do ano passado, em tribunais nos EUA.

Comunicado da Nintendo

O comunicado da empresa pode ser lido a seguir:

“Hoje, o Tribunal Distrital dos EUA para o Distrito Oeste de Washington impôs uma sentença de 40 meses a Gary W. Bowser, um dos líderes da empresa criminosa Team-Xecuter, que criou e vendeu software de hackers de console e dispositivos usados para jogar jogos piratas de Nintendo Switch.

A Nintendo aprecia o trabalho árduo e os esforços incansáveis de promotores federais e agências da lei para coibir atividades ilegais em escala global, que causam sérios danos à Nintendo e à indústria de videogames. Em particular, a Nintendo gostaria de agradecer ao Federal Bureau of Investigation (FBI), Homeland Security Investigations (HSI) do Departamento de Segurança Interna, ao Gabinete do Procurador dos EUA para o Distrito Oeste de Washington, ao Departamento de Justiça dos EUA ao Crime Informático e Intelectual Seção de Propriedade e Escritório de Assuntos Internacionais do Departamento de Justiça por sua significativa contribuição e assistência”.

Bowser foi condenado por vender e divulgar as ferramentas usadas para desbloquear não só o Nintendo Switch, como também outros tipos de videogames. Na decisão anterior do processo movido pela Big N, o juiz considerou que o hacker havia “participado consciente e intencionalmente de uma empresa de cibercriminosos que desbloqueava os principais consoles de jogos desde 2013”.

Em sua confissão, Bowser admitiu ter “desenvolvido, fabricado, divulgado e vendido uma variedade de dispositivos de evasão que permitiam que os clientes da empresa jogassem versões piratas de jogos protegidos por direitos autorais, comumente chamados de ROMs”. Com isso, o hacker alegou ter faturado cerca de US$ 320 mil nesses últimos oito anos.

Com informações: M1PST.

Felipe Vinha

Ex-autor

Felipe Vinha é jornalista com formação técnica em Informática. Já cobriu grandes eventos relacionados a jogos, como a E3, BlizzCon e finais mundiais de League of Legends. Em 2021, ganhou o Prêmio Microinfluenciadores Digitais na categoria entretenimento. Foi autor no Tecnoblog entre 2020 e 2022, escrevendo principalmente sobre games e entretenimento. Passou pelos principais veículos do ramo, e também é apresentador especializado em cultura pop.

Relacionados

Relacionados