Início / Notícias / Jogos /

Bowser, o pirata do Nintendo Switch, é condenado a 3 anos de prisão

Hacker da Nintendo com nome de vilão do Super Mario foi condenado após também ter que pagar multa milionária

Felipe Vinha

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

Deu ruim para o Bowser na vida real. O hacker e membro do grupo Team-Xecuter que vendeu softwares para desbloquear o Switch foi condenado a três anos e quatro meses de prisão. Gary W. Bowser já havia sido condenado, em dezembro de 2021, a pagar US$ 10 milhões em indenização para a Nintendo, mas agora a situação piorou.

Hacker Bowser vai para a cadeia por conta da Nintendo (Imagem: Reprodução/M1PST)

A própria Nintendo emitiu um comunicado para atualizar a imprensa sobre a situação, mas ao que parece a condenação de prisão finaliza o caso, que já se estendia desde outubro do ano passado, em tribunais nos EUA.

Comunicado da Nintendo

O comunicado da empresa pode ser lido a seguir:

“Hoje, o Tribunal Distrital dos EUA para o Distrito Oeste de Washington impôs uma sentença de 40 meses a Gary W. Bowser, um dos líderes da empresa criminosa Team-Xecuter, que criou e vendeu software de hackers de console e dispositivos usados para jogar jogos piratas de Nintendo Switch.

A Nintendo aprecia o trabalho árduo e os esforços incansáveis de promotores federais e agências da lei para coibir atividades ilegais em escala global, que causam sérios danos à Nintendo e à indústria de videogames. Em particular, a Nintendo gostaria de agradecer ao Federal Bureau of Investigation (FBI), Homeland Security Investigations (HSI) do Departamento de Segurança Interna, ao Gabinete do Procurador dos EUA para o Distrito Oeste de Washington, ao Departamento de Justiça dos EUA ao Crime Informático e Intelectual Seção de Propriedade e Escritório de Assuntos Internacionais do Departamento de Justiça por sua significativa contribuição e assistência”.

Bowser foi condenado por vender e divulgar as ferramentas usadas para desbloquear não só o Nintendo Switch, como também outros tipos de videogames. Na decisão anterior do processo movido pela Big N, o juiz considerou que o hacker havia “participado consciente e intencionalmente de uma empresa de cibercriminosos que desbloqueava os principais consoles de jogos desde 2013”.

Em sua confissão, Bowser admitiu ter “desenvolvido, fabricado, divulgado e vendido uma variedade de dispositivos de evasão que permitiam que os clientes da empresa jogassem versões piratas de jogos protegidos por direitos autorais, comumente chamados de ROMs”. Com isso, o hacker alegou ter faturado cerca de US$ 320 mil nesses últimos oito anos.

Com informações: M1PST.