Início / Notícias / Jogos /

Call of Duty vendeu tão mal que Activision não deve lançar nova versão em 2023

Um novo Call of Duty não deve ver a luz do dia em 2023, como normalmente acontece, mas série não vai parar tão cedo

Felipe Vinha

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

Jason Schreier, jornalista da Bloomberg, ataca novamente e crava que não teremos um novo Call of Duty em 2023, pela primeira vez em muitos anos. Schreier é conhecido por adiantar algumas novidades da indústria de games de maneira exclusiva e verídica, mas a informação não foi confirmada pela Activision Blizzard – ou pela Microsoft, nova “dona” da empresa principal. Em tese, o motivo principal seria a baixa venda da marca recentemente.

Call of Duty Vanguard pode ter fracassado (Imagem: Divulgação/Activision)

A novidade não é exatamente bombástica. Em janeiro o Bloomberg também indicou que isso poderia acontecer. A reportagem de Schreier cita “múltiplas fontes internas” que conhecem bem os projetos da Activision. A razão pelo adiamento do novo game deste ano vem do fraco desempenho de um game recente, que não é nomeado, mas que é possivelmente Call of Duty Vanguard. A informação dá conta de que o jogo vendeu 40% a menos do que o Call of Duty de 2020, por exemplo.

Vale lembrar que o final do ano de 2021 foi marcado por uma série de denúncias, acusações e um processo legal do estado da Califórnia contra a Activision Blizzard, tudo relacionado a assédios morais e sexuais dentro da empresa. Não é confirmado, mas a opinião pública pode ter sido impactada neste sentido, em relação a gastar dinheiro com produtos da companhia – na mesma época em que o COD mais recente saiu.

Planos para o ano que vem

Mas isso não quer dizer que não existam planos em andamento. A reportagem cita ainda que a Activision está trabalhando em um novo Call of Duty que será gratuito, que não é Warzone, e que será lançado no ano que vem. A produção estaria a cargo do estúdio Treyarch, que tem trabalhado em alguns games da marca nos últimos anos – com lançamento previsto para 2024.

A Activision respondeu ao artigo da Bloomberg dizendo: “Temos uma lista incrível de experiências premium e gratuitas de Call of Duty para este ano, ano que vem e além. Estamos ansiosos para compartilhar mais detalhes quando for a hora certa”. A resposta é evasiva até dizer chega e não nega o que foi reportado pelo jornalista, indicando que a série não terá mais lançamentos anuais.

Vale lembrar que a compra da Activision pela Microsoft ainda é recente, por isso estas decisões não são necessariamente reflexo da nova administração, que nem mesmo assumiu por completo e está em fase de transição. Resta aguardar por confirmações.

Com informações: VG247, Bloomberg.