Call of Duty vendeu tão mal que Activision não deve lançar nova versão em 2023

Um novo Call of Duty não deve ver a luz do dia em 2023, como normalmente acontece, mas série não vai parar tão cedo

Felipe Vinha
Por

Jason Schreier, jornalista da Bloomberg, ataca novamente e crava que não teremos um novo Call of Duty em 2023, pela primeira vez em muitos anos. Schreier é conhecido por adiantar algumas novidades da indústria de games de maneira exclusiva e verídica, mas a informação não foi confirmada pela Activision Blizzard – ou pela Microsoft, nova “dona” da empresa principal. Em tese, o motivo principal seria a baixa venda da marca recentemente.

Call of Duty Vanguard pode ter fracassado (Imagem: Divulgação/Activision)

A novidade não é exatamente bombástica. Em janeiro o Bloomberg também indicou que isso poderia acontecer. A reportagem de Schreier cita “múltiplas fontes internas” que conhecem bem os projetos da Activision. A razão pelo adiamento do novo game deste ano vem do fraco desempenho de um game recente, que não é nomeado, mas que é possivelmente Call of Duty Vanguard. A informação dá conta de que o jogo vendeu 40% a menos do que o Call of Duty de 2020, por exemplo.

Vale lembrar que o final do ano de 2021 foi marcado por uma série de denúncias, acusações e um processo legal do estado da Califórnia contra a Activision Blizzard, tudo relacionado a assédios morais e sexuais dentro da empresa. Não é confirmado, mas a opinião pública pode ter sido impactada neste sentido, em relação a gastar dinheiro com produtos da companhia – na mesma época em que o COD mais recente saiu.

Planos para o ano que vem

Mas isso não quer dizer que não existam planos em andamento. A reportagem cita ainda que a Activision está trabalhando em um novo Call of Duty que será gratuito, que não é Warzone, e que será lançado no ano que vem. A produção estaria a cargo do estúdio Treyarch, que tem trabalhado em alguns games da marca nos últimos anos – com lançamento previsto para 2024.

A Activision respondeu ao artigo da Bloomberg dizendo: “Temos uma lista incrível de experiências premium e gratuitas de Call of Duty para este ano, ano que vem e além. Estamos ansiosos para compartilhar mais detalhes quando for a hora certa”. A resposta é evasiva até dizer chega e não nega o que foi reportado pelo jornalista, indicando que a série não terá mais lançamentos anuais.

Vale lembrar que a compra da Activision pela Microsoft ainda é recente, por isso estas decisões não são necessariamente reflexo da nova administração, que nem mesmo assumiu por completo e está em fase de transição. Resta aguardar por confirmações.

Com informações: VG247, Bloomberg.

Felipe Vinha

Ex-autor

Felipe Vinha é jornalista com formação técnica em Informática. Já cobriu grandes eventos relacionados a jogos, como a E3, BlizzCon e finais mundiais de League of Legends. Em 2021, ganhou o Prêmio Microinfluenciadores Digitais na categoria entretenimento. Foi autor no Tecnoblog entre 2020 e 2022, escrevendo principalmente sobre games e entretenimento. Passou pelos principais veículos do ramo, e também é apresentador especializado em cultura pop.

Relacionados

Relacionados