Início / Notícias / Jogos /

Switch OLED sofre burn-in mínimo após 6 meses de exposição forçada

YouTuber faz experimento para mostrar quanto o Switch OLED aguenta antes de apresentar burn-in na tela - resultado surpreende por resistência

Felipe Vinha

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

O youtuber Bob Wulff realizou um interessante teste de resistência do Nintendo Switch OLED, para ver até onde a tela do aparelho aguenta exibir gráficos sem ser afetada por “burn-in” – aquele efeito que deixar marcas na visualização. Wulff deixou o Switch ligado por nada menos que 3.600 horas, ou seis meses, para chegar ao seu resultado.

YouTuber força o burn-in no Switch OLED (Imagem: Reprodução/Wulff Den)

Em seu vídeo ele explica como fez isso: Wulff deixou o Switch ligado com o game The Legend of Zelda: Breath of the Wild aberto, em um cenário com bastante luz e com o game totalmente parado, apenas rodando normalmente.

A intenção era escolher uma tela com bastante luz, como o teto de uma das ruínas do game, justamente para forçar o máximo possível da tela. Além disso o youtuber configurou o Switch para exibir a tela com brilho no máximo, também para forçar a capacidade do console.

Depois de seis meses na mesma tela e nas mesmas configurações, o resultado é… Quase imperceptível. Wulff explica que apenas uma pequena mancha é mostrada em parte da tela onde a luz do cenário estava mais presente. Ele reforça que isso só ocorreu por conta da forma que ele deixou o jogo e o Switch parados por tanto tempo.

O youtuber tenta tranquilizar fãs e pessoas que comentaram que evitam jogar o console no modo portátil para fugir de um possível burn-in. Em seu teste ele levou seis meses diretos, sem pausa ou descanso na tela, para atingir uma marca mínima na tela. Uma pessoa que joga normalmente todos os dias, ainda que seja o mesmo game, dificilmente passará pelo mesmo problema.

Veja o vídeo na íntegra, em inglês:

Burn-in é “reversível”

Ele também mostra que o burn-in só é visível em algumas telas, com fundos de cores específicas, como preto ou roxo. Ainda assim, Wulff reforça a todo o momento que é bastante imperceptível e é preciso olhar bem para ver a pequena mancha.

Além de tudo isso, o youtuber demonstra ainda que é fácil reverter a situação, caso a mancha apareça – basta inverter as cores da tela do Switch e deixar mais seis meses parado na mesma posição. Ok, fácil é, mas demorado também.

Portanto, se você tem um Switch OLED, não se preocupe com problemas de burn-in. A tela do aparelho aguento bem possíveis danos neste sentido.

Com informações: The Verge.