Início / Notícias / Celular /

iPhone 6s e SE original entram em “grupo de risco” e podem ficar sem iOS 16

iPhone 6s e iPhone SE de 2016 foram lançados com o chip Apple A9 e 2 GB de RAM; novo iPhone SE (2022) tem 4 GB de memória

Bruno Gall De Blasi

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

Apple apresentou a terceira geração do iPhone SE nesta semana. Entre as novidades, estão as melhorias no interior do celular, incluindo a memória RAM de 4 GB. Mas o futuro pode não ser muito favorável à edição original do smartphone, o iPhone 6s e o iPhone 6s Plus: os três modelos não devem receber o iOS 16 neste ano.

iPhone 6S (foto) e iPhone SE de primeira geração (2016) não devem ser atualizados para o iOS 16 (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)
iPhone 6s (foto) e iPhone SE de primeira geração (2016) não devem ser atualizados para o iOS 16 (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)

A análise feita pelo Tecnoblog gira em torno da RAM, processador e idade dos celulares. Em comum, os telefones possuem 2 GB de memória e o chip Apple A9 no seu interior. Ou seja, ainda que o iPhone 6s seja de 2015 e a primeira geração do iPhone SE seja de 2016, o trio compartilha pontos em comum na ficha técnica.

Esta semelhança, porém, coloca os celulares em um “grupo de risco” em relação à atualização do iOS. Em 2021, a Apple chegou a liberar o iOS 15 para os três modelos. Mas a mesma situação não deve acontecer em 2022. Afinal, entre os telefones que ainda recebem updates, estes são os smartphones da marca com o chip mais antigo. 

A situação é similar aos dispositivos com Apple A8 e A8X: em 2020, a Apple descontinuou o suporte aos dois chips. Na prática, isto significa que todos os iPhones com iOS 13 foram atualizados para o iOS 14, incluindo o iPhone 6s e o iPhone SE de 2017. Mas o iPad Air 2 e o iPad Mini 4 não receberam a versão anterior do sistema.

Ainda assim, os celulares da Apple estão na frente de seus concorrentes. O iPhone SE e o iPhone 6s foram lançados há cerca de seis anos e sete anos, respectivamente, e receberam o iOS 15 em 2021. Já o Samsung Galaxy S9, por exemplo, veio a público há pouco mais de quatro anos e não será atualizado para o Android 12, versão do sistema do Google lançada no ano passado.

MemóriaModelos de iPhone divididos por processador
2 GB de RAM– com Apple A9: iPhone 6s, iPhone 6s Plus, iPhone SE

– com Apple A10 Fusion: iPhone 7

– com Apple A11 Bionic: iPhone 8
3 GB de RAM– com A10 Fusion: iPhone 7 Plus

– com A11 Bionic: iPhone 8 Plus, iPhone X

– com A12 Bionic: iPhone XR

– com A13 Bionic: iPhone SE (2020)
4 GB de RAM– com A12 Bionic: iPhone XS, iPhone XS Max

– com A13 Bionic: iPhone 11, iPhone 11 Pro, iPhone 11 Pro Max

– com A14 Bionic: iPhone 12 mini, iPhone 12

– com A15 Bionic: iPhone 13 mini, iPhone 13, iPhone SE (2022)
6 GB de RAM– com Apple A14 Bionic: iPhone 12 Pro, iPhone 12 Pro Max

– com Apple A15 Bionic: iPhone 13 Pro, iPhone 13 Pro Max

iPhone 7 e iPhone 8 podem ser atualizados para o iOS 16

O “grupo de risco” tende a ser formado apenas pelo iPhone SE de 2017, iPhone 6s e iPhone 6s Plus. Enquanto isso, outros modelos também têm 2 GB de RAM em sua ficha técnica, como o iPhone 7 e o iPhone 8. Mas a dupla traz chips mais recentes e deve ser atualizada para o iOS 16 no segundo semestre de 2022.

O iPhone 7 Plus e o iPhone 8 Plus têm os mesmos processadores de suas respectivas edições convencionais. A dupla, porém, conta com memória RAM de 3 GB em vez de 2 GB. A quantidade é a mesma do iPhone X, iPhone XR e do iPhone SE de 2020. 

A lista de celulares com 4 GB de RAM é maior. Entre eles, está o recém-lançado iPhone SE de terceira geração, iPhone XS e toda a linha iPhone 11. A Apple também possui smartphones com 6 GB de RAM, como o iPhone 12 Pro e o iPhone 13 Pro. 

iPhone SE de 2022 tem visual de 2017 e motor de 2021 (Imagem: Reprodução/Apple)
iPhone SE de 2022 tem visual de 2017 e motor de 2021 (Imagem: Reprodução/Apple)

Novo iPhone SE é lançado com 4 GB de memória RAM

O possível fim de suporte ao primeiro iPhone SE deve acontecer no ano de estreia da terceira geração do celular. Nesta terça-feira (8), a Apple apresentou a nova edição do smartphone, mantendo o mesmo visual do iPhone 8. O interior, por outro lado, está bem mais próximo do iPhone 13. 

É o caso do processador Apple A15 Bionic. Segundo a Apple, o lançamento é 1,8 vezes mais rápido que o iPhone 8. Além disso, a nova geração do smartphone tem suporte ao 5G e promete uma bateria com duração maior. Ao todo, o telefone tem três opções de armazenamento: 64 GB, 128 GB e 256 GB.

No Brasil, o preço do iPhone SE (2022) vai começar em R$ 4.199. A data de lançamento, porém, ainda não foi revelada pela Apple.

Com informações: MacRumors

Colaborou: Felipe Ventura