Netflix quer combater clientes que dividem senha porque está sob pressão

Devido aos gastos cada vez maiores, Netflix planeja implementar taxas adicionais na mensalidade para aumentar o número de assinantes individuais

Murilo Tunholi
Por

A Netflix está planejando medidas para impedir a divisão de perfis e senhas entre usuários da plataforma. Durante anos, a empresa fez vista grossa em relação ao compartilhamento de contas com amigos e familiares. Porém, essa realidade tem mudado recentemente, e o motivo é bastante simples: a Netflix precisa ganhar mais dinheiro com assinantes individuais.

Escritório da Netflix em Amsterdã (Imagem: Divulgação/Netflix)
Escritório da Netflix em Amsterdã (Imagem: Divulgação/Netflix)

Na última quarta-feira (16), a Netflix anunciou que vai cobrar uma taxa extra, além da mensalidade, de usuários que dividem contas com outras pessoas que não vivem no mesmo endereço. Ou seja, se alguém usar o seu perfil em outro lugar que não seja a sua casa, será incluída uma cobrança adicional de US$ 2,99 (cerca de R$ 15) na assinatura.

Essa novidade será implementada primeiro no Chile, Costa Rica e Peru. A ideia da Netflix é simples: reduzir a quantidade de senhas compartilhadas entre usuários para aumentar os lucros no final do mês. O estranho é que, durante muitos anos, a empresa não considerava a divisão de contas um problema — e até achava a prática positiva.

A produtora começou a mudar seu posicionamento no primeiro trimestre de 2021. Na época, a Netflix implementou métodos de verificação de identidade em certos países ao acessar perfis. A promessa inicial era de apenas aumentar a segurança dos usuários, mas o compartilhamento de contas também era dificultado de maneira indireta.

Gastos da Netflix estão cada vez maiores

A Netflix parece ter esgotado as formas de lidar com a divisão de contas de forma “gentil”. Isso porque a empresa está sentindo impactos financeiros cada vez maiores nas receitas trimestrais e anuais.

Apesar do número de assinantes ter aumentado, em especial durante a pandemia da COVID-19, a companhia está gastando mais para manter o serviço de streaming funcionando.

Com o passar dos anos, as produções da Netflix ficam mais caras. Quando uma série não gera a receita esperada, a empresa logo cancela o projeto e interrompe as filmagens de novas temporadas para não gastar mais dinheiro.

Agora, a companhia quer aproveitar que o serviço é considerado essencial por muitas pessoas para lucrar mais com assinaturas.

É importante destacar que a Netflix não é o único serviço que está precisando lucrar mais. Outras plataformas de streaming, como o Disney+, começaram a cogitar planos com anúncios. Assim, dá para para atrair mais usuários com preços menores enquanto força os assinantes antigos a pagarem mais para não assistir a propagandas.

Netflix quer mais assinantes individuais

A estratégia da Netflix ao impedir o compartilhamento de contas é aumentar o número total de assinantes individuais. Ao The Verge, o analista da LightShed Partners, Richard Greenfield explicou que a empresa pode ganhar de 10 a 20 milhões de assinantes nos EUA, se a taxa adicional de divisão de perfis for implementada no resto do mundo.

Ainda há possibilidade da Netflix mudar de ideia. Entretanto, como os custos de produção e manutenção do serviço continuam aumentando, é provável que aconteçam mudanças monetárias mais cedo ou mais tarde. Pode ser por um simples aumento de preço da assinatura ou por taxas adicionais para dividir contas.

Com informações: The Verge.

Relacionados

Relacionados