Google Chrome 100 chega à versão final com ícone novo e fim do modo lite

Versão estável do Google Chrome 100 é liberada aos usuários; atualização dá adeus ao modo de economia de dados para Android

Bruno Gall De Blasi
Por

Google Chrome, enfim, alcançou a centésima versão. O Google disponibilizou a versão estável do Chrome 100 para computadores, celulares e tablets nesta terça-feira (29). A nova compilação do navegador marca a sua estreia com um novo ícone e também encerra o modo econômico para smartphones com Android.

Google Chrome 100 é liberado pelo Google a todos os usuários; conheça as novidades (Imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Google Chrome 100 é liberado pelo Google a todos os usuários; conheça as novidades (Imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

A estreia da nova versão acontece cerca de quatorze anos desde o lançamento do Google Chrome, em 2008. De lá para cá, muitas águas rolaram e a internet mudou bastante. Mas o navegador do Google continua sendo a principal opção de mais da metade da população brasileira, segundo a plataforma Statcounter da Global Stats.

A centésima versão chega ao canal estável com correções de falhas e algumas novidades. É o caso do ícone, que foi atualizado pela primeira vez desde 2014 para torná-lo mais acessível, conforme informado pelo designer do Google, Elvin Hu, em fevereiro. A mudança também melhora a integração do browser com os sistemas.

“Simplificamos o ícone principal da marca removendo as sombras, refinando as proporções e iluminando as cores, para alinhar com a expressão de marca mais moderna do Google”, disse Hu na época.

Linha do tempo do ícone do Google Chrome de 2008 até 2022 (Imagem: Reprodução/Elvin Hu/Twitter)
Linha do tempo do ícone do Google Chrome de 2008 até 2022 (Imagem: Reprodução/Elvin Hu/Twitter)

Google Chrome dá adeus ao Modo Lite para Android

A atualização ainda demarca o fim do modo econômico do navegador, também conhecido como Chrome Data Saver. Caso não esteja a par, o recurso para celulares Android reduzia o peso das páginas da web para que os sites pudessem ser carregados em menos tempo. De sobra, a ferramenta ainda ajudava a economizar o plano de dados do celular.

O recurso já ajudou muitas pessoas no passado. No entanto, está na hora de dizer adeus ao Modo Lite, justamente porque as operadoras atualmente trabalham com planos melhores do que em 2014, quando foi implementado. Essa foi a explicação dada pelo gerente de suporte do Google Chrome, Craig Tumblison em fevereiro:

“Nos últimos anos, observamos uma diminuição no custo de dados móveis em muitos países e enviamos muitas melhorias para o Chrome para minimizar ainda mais o uso de dados e melhorar o carregamento de páginas da web”, afirmou. “Embora o modo Lite esteja chegando ao fim, continuamos comprometidos em garantir que o Chrome possa oferecer uma experiência de carregamento rápido de páginas da Web em dispositivos móveis.”

User agent de três dígitos foi mantido no Chrome 100 (Imagem: Reprodução/Tecnoblog)
User agent de três dígitos foi mantido no Chrome 100 (Imagem: Reprodução/Tecnoblog)

Chrome 100 manteve user agent de três dígitos

O Chrome 100 era uma atualização para lá de aguardada. Mas a nova versão também trazia algumas preocupações desde o ano passado, pois poderia causar problemas em vários sites. Afinal, em testes realizados por desenvolvedores na época, as páginas retornaram um erro para impedir um acesso não permitido.

O problema girava em torno de um recurso para identificar a versão do browser, recurso conhecido como “user agent”. Como a atualização traz um número de três dígitos, algumas páginas reconheciam somente os dois primeiros números. Ou seja, em vez de o site ler o agente “Chrome/100”, ele reconhecia apenas o trecho “Chrome/10” – uma versão bem antiga do navegador.

A preocupação também rendeu um alerta da Mozilla. Mas o user agent de três dígitos foi mantido na versão final do navegador. Afinal, os desenvolvedores prepararam os seus sites para a atualização nos últimos meses, justamente para evitar falhas.

Mesmo assim, o Google pediu a ajuda da comunidade para evitar que as páginas quebrem: “se você é um mantenedor de site, teste seu site com Chrome e Firefox 100”, afirmaram nesta terça-feira (29). “Se você desenvolver uma biblioteca de análise de user agent, adicione testes para analisar versões maiores e iguais a 100.”

A companhia também informou que, a partir da próxima versão, o user agent será reduzido gradualmente.

Com informações: BleepingComputer e The Verge

Relacionados

Relacionados