Esquema de rachadinha com clientes do C6 Bank desviou mais de R$ 50 milhões

Funcionária terceirizada chefiou esquema com mais de 200 clientes do C6 Bank para furtar dinheiro por meio de dívidas do cheque especial

Murilo Tunholi
Por

A Polícia Civil de São Paulo está investigando um esquema de rachadinha com clientes do C6 Bank. Segundo as autoridades, uma funcionária de uma empresa terceirizada — responsável por fazer a relação entre os clientes e o banco — chefiou o golpe e desviou mais de R$ 50 milhões, em maio do ano passado. As informações foram divulgadas pela revista Veja.

C6 Bank
C6 Bank (Divulgação/C6 Bank)

Para aplicar o golpe, a funcionária da empresa Concentrix orquestrou um plano com diversas etapas. Primeiro, ela selecionou mais de 200 clientes do C6 Bank, por meio de redes sociais, para participarem da rachadinha. Como parte do esquema, as pessoas escolhidas precisavam solicitar um aumento do limite do cheque especial da conta.

Em seguida, as pessoas que tiveram seus limites aumentados faziam transferências para outros clientes do C6 Bank via Pix, até sobrar uma dívida de R$ 100 mil para o titular da conta. Ao todo, a suspeita de chefiar a rachadinha furtou R$ 50 milhões em cheques especiais — divididos entre os indivíduos escolhidos previamente.

A promessa era de que os R$ 100 mil que sobraram no cheque especial seriam transferidos para outra conta do cliente no final do esquema, como recompensa pela participação. Segundo a Veja, um dos integrantes do golpe chegou a ter o limite do cheque especial aumentado para R$ 1 milhão.

Até o momento, sabe-se apenas que a dívida total de R$ 50 milhões gerada pelo golpe continua no C6 Bank. A polícia ainda não esclareceu se os correntistas que receberam as transferências via Pix dos participantes do esquema foram vítimas ou se eram contas laranjas.

Nem a Concentrix, nem o C6 Bank comentaram o ocorrido até o momento. Ainda segundo a Veja, outros dois bancos não identificados podem ter sofrido esquemas de rachadinha parecidos.

C6 Bank é líder em reclamações no Banco Central

No início deste ano, o C6 Bank foi classificado pelo Banco Central (BC) como a instituição de pagamento que mais recebeu reclamações no quarto semestre de 2021. O ranking de 15 instituições ainda incluiu nomes como BMG, Banco Pan e Inter.

O C6 Bank teve o pior índice de satisfação do período, com 1.444 reclamações reguladas em uma base composta por 13,5 milhões de clientes. Segundo o BC, a maioria das insatisfações são relacionadas a cartões de crédito, desde integridade, confiabilidade, segurança, sigilo até legitimidade das operações e serviços.

Com informações: Veja.

Relacionados

Relacionados