Início / Notícias / Internet /

O tuiteiro não sabe para onde ir após a aquisição do Twitter por Elon Musk

Elon Musk comprou o Twitter, mas teve gente que não gostou e respondeu do melhor jeito possível: com memes no próprio Twitter

Giovanni Santa Rosa

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

Elon Musk é uma pessoa que desperta sentimentos fortes. Tem quem o ame e tem quem o odeie, e as pessoas desse segundo grupo não estão nada contentes com sua mais recente aquisição. Nada melhor que reclamar do novo dono do Twitter no próprio Twitter. Entre críticas e desespero, alguns bons memes apareceram para darmos boas risadas.

Logotipo do Twitter
Twitter (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

Sair do Twitter… para onde?

A rede dos cancelamentos cancelou a própria rede

Os usuários do Twitter são conhecidos por problematizar tudo e criticar pessoas pelos mais diversos motivos. Hoje nem o próprio Twitter se salvou.

Tem quem ache que vai melhorar

Uma das promessas de Elon Musk para o Twitter é autenticar todos os usuários humanos. Há quem ache que a rede social tende a melhorar sem fakes e robôs.

É tudo uma questão pessoal

O site satírico Reductress tratou a compra como um problema particular de Musk: “URGENTE: Homem transforma crise de meia-idade em problema para todo mundo”.

Uma oportunidade para quem odeia Elon Musk

“Eu estava no Tumblr quando o Yahoo teve que vendê-lo por US$ 3 milhões depois de comprá-lo por US$ 1,1 bilhão. Todos nós éramos um pouco responsáveis por fazer a empresa perder um bilhão de dólares. Com um esforço coletivo assim, acredito que todos nós aqui no Twitter podemos fazer Elon Musk perder ainda mais.”

É piada, mas tem gente que está levando a sério. A professora Ada-Rhodes Short fez mesmo uma thread com ações para causar prejuízo para a rede, como usar bloqueadores de propaganda, postar imagens e vídeos para usar mais armazenamento e entupir os canais de suporte.

Mas tinha que ser o Twitter?

Não dava para voltar com o Orkut com todo esse dinheiro? Estou com saudades de entrar nas comunidades “Nietzsche for Speed” e “Lênin, de três”.

Nem o funcionário do Twitter sabe o que vai acontecer

“Alguém pode só me dizer se eu estou rico ou serei demitido, por favor?”, diz Ned Miles, que trabalha na rede social.

O medo de Miles não é infundado. Parag Agrawal, CEO do Twitter, diz que demissões não estão no horizonte “neste momento”, mas que não sabe qual direção a rede vai tomar quando estiver nas mãos de Elon Musk.

O próprio Agrawal diz que fica no cargo até o negócio ser concluído. E depois? Ele não arriscou nenhum comentário.