Início / Notícias / Aplicativos e Software /

Funcionário da Microsoft é flagrado rodando Windows 11 em PC não suportado

Gerenciador de Tarefas receberá mudanças no visual; requisitos mínimos do Windows 11 pedem chip Intel de 8ª geração ou superior

Bruno Gall De Blasi

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

Uma simples transmissão da Microsoft terminou em um baita flagrante. Nesta terça-feira (26), a companhia apresentou novidades para o Gerenciador de Tarefas do Windows 11, que poderá ser personalizado com cores de destaque do sistema operacional. Mas um detalhe não passou despercebido: durante a apresentação, um funcionário estava usando um computador com processador não suportado.

Em transmissão da Microsoft, funcionário é flagrado usando Windows 11 em um PC não suportado (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)
Em transmissão da Microsoft, funcionário é flagrado usando Windows 11 em um PC não suportado (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

A descoberta aconteceu durante o Windows Insider Webcast. Durante a transmissão do YouTube, um funcionário da Microsoft abriu a aba CPU do Gerenciador de Tarefas do Windows 11. Não demorou muito e um usuário do Twitter descobriu que o computador usava o chip Intel Core i7-7660U, sendo que a Microsoft solicita o uso de processadores de 8ª geração em diante.

“No flagra usando uma CPU não suportada no Windows 11 😂”, publicou Aathif Mahir em seu perfil do Twitter.

O tweet, é claro, começou a ser notado e recebeu desde brincadeiras até contestações. “Isso é totalmente hilário!”, disse uma pessoa. “Um cara com olhos de águia”, respondeu outro usuário da rede social. Teve até quem questionou a lista de requisitos do sucessor do Windows 10: “brincadeiras à parte, isso prova que até eles pensam que o requisito de CPU é besteira”, afirmou mais uma pessoa.

Transmissão da Microsoft foi feita em um PC com Intel Core i7 de sétima geração (Imagem: Reprodução/Twitter)
Transmissão da Microsoft foi feita em um PC com Intel Core i7 de sétima geração (Imagem: Reprodução/Twitter)

Microsoft liberou o Windows 11 em PCs “antigos”

A publicação rendeu outros comentários. Em um tweet, um usuário afirmou que o processador é tecnicamente compatível, mas não é recomendado. Teve até quem compartilhou uma captura de tela do Gerenciador de Tarefas do Windows 11 rodando em um computador com um chip de 7ª geração: “funciona bem no meu [Core] i5-7260U”.

De fato, a Microsoft possui uma lista de requisitos que pede processadores Intel de 8ª geração em diante. Além disso, a companhia solicita outros recursos mínimos, como o TPM 2.0. A responsável pelo Windows 11, no entanto, cedeu e liberou a atualização em PCs com processadores “antigos” depois de receber críticas de usuários.

Mesmo assim, a Microsoft não encorajou a atualização em dispositivos que não seguem a lista. Em agosto, a companhia afirmou em um blog que os computadores que não atendem aos requisitos mínimos “tiveram 52% mais falhas no modo kernel”. No lugar, a companhia recomendou o uso do Windows 10, que terá suporte até 2025.

Gerenciador de Tarefas receberá mudanças no visual (Imagem: Reprodução/Windows Latest)
Gerenciador de Tarefas receberá mudanças no visual (Imagem: Reprodução/Windows Latest)

Gerenciador de Tarefas ficará mais colorido

A transmissão ao vivo no YouTube atraiu bastante atenção para o processador do computador. Mas o dia também foi palco para a apresentação de novidades ao Gerenciador de Tarefas, cujo design está se aproximando ainda mais da linguagem visual do Windows 11. O programa também terá suporte ao modo escuro (dark mode).

A customização também será levada ao app. Com a atualização, o programa utilizará a cor de destaque do sistema operacional para indicar se um app está usando muita RAM, CPU e afins. A companhia também vai levar as abas da parte superior do app para a lateral esquerda.

Ainda não se sabe quando o novo Gerenciador de Tarefas chegará a todos.

Com informações: Windows Latest (1 e 2)