Início / Notícias / Internet /

Busca do Google deixa remover seu número de celular ou documentos vazados

Google agora pode remover da ferramenta de buscas imagens ligadas a CPF e RG, dados de login em redes sociais, número de celular e endereço residencial

Pedro Knoth

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

Desde quarta-feira (27), usuários podem pedir ao Google para remover números de celular, endereços de e-mail e CEP da ferramenta de buscas. A companhia já derrubava certos dados sensíveis e capazes de identificar uma pessoa, mas disse em nota que está expandindo o recurso para proteger cada vez mais clientes. Informações que podem levar ao roubo de identidade também podem ser retiradas através de uma solicitação.

Logotipo do Google
Google (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Com o update, o Google pode atender ao pedido de usuários nos casos em que a informação está ligada a um documento oficial, a um login de uma conta em redes sociais ou dados de contato, como endereço, telefone e e-mail.

Google pode retirar imagem de RGs e CPFs vazados

Quando se trata de um documento oficial vazado, o Google pode retirar o número e imagem da identidade. A dona do buscador cita exemplos: o número de Segurança Social nos EUA, o Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) no Brasil e o Bilhete de Identidade do Residente na China.

Para impedir golpistas de se passarem por outras pessoas ou contas em redes sociais, informações de login também podem ser derrubadas, como senha e e-mail.

O Google avalia cada caso de forma criteriosa para que informações públicas não sejam apagadas da ferramenta de buscas. Um político, por exemplo, não poderia pedir que dados oficiais sejam derrubados do buscador.

Antes, o Google já atendia usuários que solicitavam a remoção de dados que poderiam gerar fraudes bancárias, como números de contas em instituições financeiras, cartões de crédito e débito, e imagens de assinaturas. A empresa também agia em casos de informações médicas altamente sensíveis e vazadas no buscador.

Dados usados na prática de doxxing — divulgação de informações pessoais com intuito de gerar ameaças — também poderiam ser removidos pelo Google. No entanto, a dona do buscador só deleta a informação se houver ameaças implícitas ou explícitas feitas contra o usuário.

Retirar dados do Google não os faz sumir da internet

Em nota detalhando as mudanças, o Google diz que o update na remoção de dados pessoais da busca visa dar um poder cada vez maior a usuários para que eles “mantenham a informações sensíveis privadas, incluindo as que podem ser usadas para identificação”.

Vale lembrar que, só porque a informação foi retirada da busca do Google, não significa que ela não está mais na internet. Por isso, a empresa recomenda que o usuário entre em contato com o provedor de hospedagem dos sites onde dados sensíveis se encontram.

Tela inicial do Google (Imagem: Reprodução)
Retirar documentos do Google não significa que eles sumiram da internet (Imagem: Reprodução)

A política de remoção de informações sensíveis tem sido reforçada pelo Google desde 2021. Em outubro do ano passado, um update permitiu que usuários menores de 18 anos fizessem pedidos à companhia para retirarem suas fotos do buscador.

A novidade deve impedir stalkers, doxxers profissionais e outros atores maliciosos de encontrarem informações sobre vítimas online. Além disso, pode ajudar usuários a descobrirem onde suas informações foram parar dentro do Google — para além da primeira página.

Com informações: Engadget