Notícias Negócios

Após ultimato de Elon Musk, Amazon oferece vagas a funcionários da Tesla

Amazon, Microsoft e outras empresas tentam usar trabalho remoto para atrair funcionários da Tesla; Musk exigiu retorno ao escritório

Giovanni Santa Rosa
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Elon Musk deu um basta no home office dos trabalhadores de Tesla e SpaceX: ou trabalham no mínimo 40 horas por semana no escritório, ou podem “fingir que trabalham” em outra empresa. Se essas pessoas quiserem sair do cargo atual, oportunidade não vai faltar: recrutadores da Amazon e de outras companhias já estão de olho.

Elon Musk aconselha tomar cuidado com investimentos em criptomoedas (Imagem: Steve Jurvetson/Flickr)
Elon Musk (Imagem: Steve Jurvetson/Flickr)

De acordo com uma reportagem da Business Insider, Zafar Choudhury, que se identifica como líder de recrutamento técnico da Amazon Web Services no LinkedIn, fez uma publicação direcionada a engenheiros da Tesla na rede social.

“Se o Imperador de Marte não quer você, ficarei feliz de te levar para a #AWS”, ele escreveu na rede social. A parte do “Imperador de Marte” diz respeito à obsessão de Musk com a colonização do Planeta Vermelho. E o post não para por aí.

“Se você não gosta de ser microgerenciado pelos Elon Musks do mundo, venha para a #AWSIdentity!”, escreveu o recrutador. “Nós preparamos um lar feliz para você aqui, que respeita você, seu tempo e sua profissão. Encontraremos para você uma equipe que te trate com dignidade.”

Choudhury não foi o único recrutador da Amazon a tentar atrair funcionários da Tesla. E a Amazon não foi a única empresa.

Tiana Watts-Porter, recrutadora técnica da Microsoft, disse aos trabalhadores da Tesla que eles teriam mais liberdade na empresa. “Você pode fazer as coisas do seu jeito e ser você mesmo aqui na Microsoft!”

Até mesmo empresas de tecnologias bem menores, como Insight e Bestow, fizeram publicações no LinkedIn convidando trabalhadores descontentes da Tesla.

Empresas são mais flexíveis que Musk

Enquanto Musk tenta reverter o home office que está em vigor desde o início da pandemia de COVID-19, Amazon e Microsoft têm políticas bem mais brandas do que a Tesla e a SpaceX.

A Amazon permite trabalhar remotamente e não tem planos para o retorno aos escritórios. Já a Microsoft anunciou que funcionários poderão ficar longe dos escritórios por até 50% do tempo, e em alguns casos, até mais do que isso, se o gestor da equipe aprovar.

Mesmo empresas com planos mais rígidos de volta ao trabalho presencial não são tão radicais quanto Musk. A Apple tinha planos de exigir que os funcionários fossem três vezes por semana ao escritório. No entanto, adiou a obrigação quando houve uma alta nos casos de COVID-19 na Califórnia (EUA).

Enquanto isso, Musk justificou no Twitter sua decisão. Ele defende que o modelo atual é injusto com os trabalhadores das fábricas, que não têm a possibilidade de fazer home office.

“Não deveria haver este sistema de duas classes, que opõe trabalhadores e gerentes. Todo mundo é trabalhador”, disse o bilionário.

Com informações: Business Insider

Giovanni Santa Rosa

Giovanni Santa Rosa é formado em jornalismo pela ECA-USP e cobre ciência e tecnologia desde 2012. Foi editor-assistente do Gizmodo Brasil e escreveu para o UOL Tilt e para o Jornal da USP. Cobriu o Snapdragon Tech Summit, em Maui (EUA), o Fórum Internacional de Software Livre, em Porto Alegre (RS), e a Campus Party, em São Paulo (SP). Atualmente, é autor no Tecnoblog.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque