Notícias Negócios

Elon Musk ameaça cancelar compra do Twitter por “quebra” de contrato

Segundo advogados de Elon Musk, Twitter estaria violando termos do contrato de compra ao não fornecer as informações solicitadas pelo CEO da Tesla

Bruno Ignacio
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Elon Musk colocou seu acordo para comprar o Twitter em cheque. Segundo advogados do CEO da Tesla, a empresa “claramente” violou os termos acordados, o que poderia levar ao cancelamento da aquisição. Em uma carta enviada à companhia, a equipe jurídica do bilionário afirmou que a plataforma não forneceu as informações solicitadas sobre a presença de robôs e contas falsas na rede social.

Elon Musk
Elon Musk (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

No final de abril, Musk fechou um acordo para comprar o Twitter por US$ 44 bilhões. No entanto, diversos obstáculos surgiram desde então. Conforme revela a carta recebida nesta segunda-feira (6) pela Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC), o bilionário já acredita que pode cancelar o acordo de compra da plataforma.

Segundo os advogados do CEO da Tesla, Musk disse que o Twitter está “combatendo e frustrando” seus direitos de acesso à informação. Ao mesmo tempo, a plataforma também estaria descumprindo suas obrigações e violando termos acordados no acordo de aquisição da companhia.

“O Twitter é obrigado a fornecer dados e informações que Musk solicita em relação à consumação da transação”, argumentam os advogados na carta. Dessa forma, o Twitter estaria quebrando o contrato fechado com o bilionário ao não apresentar as informações solicitadas sobre o número de robôs e contas falsas na plataforma.

Twitter não provou número de bots na rede social

Twitter
Twitter (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Diante de uma suposta quebra contratual, a equipe jurídica de Elon Musk acredita que o bilionário poderia optar por “não consumar a transação”. Na carta, os advogados reiteram que o Twitter se recusa a dar as informações que Musk pede “repetidamente” desde o dia 9 de maio.

Esses dados dizem respeito à metodologia utilizada pela plataforma para estimar o número de robôs e contas falsas na rede social. Segundo o Twitter, menos de 5% de todos os perfis seriam bots, mas Musk não acredita nos números.

O bilionário chegou a suspender o processo de compra da empresa após suspeitar que a quantidade de robôs no Twitter poderia representar até mais de 20% de todos os perfis. Assim, Musk afirma que não pode avaliar corretamente quantas contas são monetizáveis na rede social, algo que afeta diretamente o valor total da compra e as condições do financiamento feito pelo bilionário com bancos.

“Como proprietário em potencial do Twitter, o Sr. Musk claramente tem o direito de solicitar dados para permitir que ele se prepare para a transição dos negócios do Twitter para sua propriedade e para facilitar o financiamento da transação”, dizem os advogados na carta.

Bruno Ignacio

Bruno Ignacio é jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero. Cobre tecnologia desde 2018 e se especializou na cobertura de criptomoedas e blockchain, após fazer um curso no MIT sobre o assunto. Passou pelo jornal japonês The Asahi Shimbun, onde cobriu política, economia e grandes eventos na América Latina. Já escreveu para o Portal do Bitcoin e nas horas vagas está maratonando Star Wars ou jogando Genshin Impact.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque