Notícias Brasil

Prefeitura do Rio de Janeiro lança página com dados abertos sobre a cidade

Datalake é um repositório com informações de secretarias, autarquias e empresas municipais do Rio de Janeiro

Bruno Gall De Blasi
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Os cariocas, jornalistas, pesquisadores e mais pessoas já podem acessar os dados abertos sobre a Cidade Maravilhosa com mais facilidade. Nesta sexta-feira (10), a Prefeitura do Rio de Janeiro anunciou o Datalake, um repositório para armazenar, processar e disponibilizar informações de autarquias, empresas municipais e secretarias. A nova solução está disponível ao público em uma página do Data.Rio. 

Iniciativa do Escritório de Dados do Rio de Janeiro, Datalake tem dados do Leme ao Pontal (e mais um pouco) (Imagem: Reprodução)
Iniciativa do Escritório de Dados do Rio de Janeiro, Datalake tem dados do Leme ao Pontal e mais (Imagem: Reprodução)

A novidade oferece uma nova abordagem para conferir informações em tempo real sobre a cidade. A iniciativa parte do Escritório de Dados, um centro de pesquisa, formação e divulgação em ciência e visualização de dados da prefeitura. Além disso, a entidade é vinculada ao Gabinete do Prefeito.

O verdadeiro propósito do Datalake é facilitar o acesso às informações abertas. Ao Tecnoblog, o responsável pelo Escritório de Dados, João Carabetta, afirmou que a solução engloba diversas esferas da prefeitura. E a melhor parte: é tudo grátis.

“Com este repositório, será possível ter acesso a informações como a localização de buracos no asfalto, informações sobre o sistema GPS instalados em ônibus e também aos números de atendimento do Canal 1746”, explicou.

Carabetta também detalhou as disparidades entre a nova solução e o Data.Rio, o repositório de dados gerais sobre a cidade. “A grande diferença entre o Data.Rio e o novo Datalake é a possibilidade de atualização em tempo real e integração de base”, disse. “Além de poder baixar os arquivos, o usuário conseguirá analisar os dados utilizando BigQuery, Python, R e também PowerBI”.

Repositório da Prefeitura do Rio de Janeiro está disponível ao público no Data.Rio (Imagem: Reprodução/Tecnoblog)
Repositório da Prefeitura do Rio de Janeiro está disponível ao público no Data.Rio (Imagem: Reprodução/Tecnoblog)

Datalake traz dados abertos do Rio de Janeiro

O projeto reune informações de entidades do município. Em nota à imprensa, a Prefeitura destacou que a ideia é criar uma base de dados utilizando as tecnologias mais avançadas. Assim, todo esse repositório pode ser usados pela sociedade civil, universidades e empresas privadas possam desenvolver projetos e pesquisas em benefício da cidade.

O projeto deu a largada ainda no ano passado, em um piloto. Mas algumas secretarias, como a de Educação, já utilizam a plataforma para acompanhar o cotidiano de alunos da rede municipal de ensino em tempo real, por exemplo. O repositório também vai receber informações de outras plataformas, como o aplicativo de mapas Waze.

Todo esse apanhado pode ser utilizado em diversas frentes. “Quando um usuário reclamar de um buraco, por exemplo, a queixa chegará direto para a Secretaria de Conservação”, explicaram durante o lançamento. “O mesmo acontecerá com denúncias de sinais apagados, que serão direcionadas para a CET-Rio.”

Segundo a Prefeitura, o próximo Desafio COR (Centro de Operações Rio) contará com dados pluviométricos de satélite e de radar que já estão disponíveis no Datalake. A nova rodada do evento terá como foco a prevenção de enchentes e deslizamentos.

Nem o trânsito da Barra da Tijuca ficará de fora do Datalake (Imagem: Fernando Frazão/Agência Brasil)
Nem o trânsito da Barra da Tijuca ficará de fora do Datalake (Imagem: Fernando Frazão/Agência Brasil)

Dados podem ser usados por pesquisadores e mais

As aplicações, é claro, não ficam presas somente à prefeitura. Por exemplo, ao acessar a base “Transporte Rodoviário: GPS dos Ônibus”, os usuários podem ter acesso a um arquivo com a localização dos ônibus da cidade. A página ainda informa um pequeno tutorial para extrair as informações com BigQuery, Python e R.

Outra informação disponível é um mapa com os limites de bairros da cidade. Ao acessar a base “Limite de Bairros”, estudantes de arquitetura e urbanismo, ciência política, sociologia e outros cursos podem contribuir um banco de dados para trabalhar em suas pesquisas. Também há arquivos com chamados abertos no 1746, estações meteorológicas, logradouros e muito mais.

O repositório Datalake está disponível no site do próprio Data.Rio: data.rio.

Bruno Gall De Blasi

Bruno Gall De Blasi é jornalista e cobre tecnologia desde 2016. Sua paixão pelo assunto começou ainda na infância, quando descobriu "acidentalmente" que "FORMAT C:" apagava tudo. Antes de seguir carreira em comunicação, fez Ensino Médio Técnico em Mecatrônica com o sonho de virar engenheiro. Entrou para o Tecnoblog em 2020 e também escreveu para o TechTudo e iHelpBR.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque