Elon Musk é processado por suposto esquema de pirâmide envolvendo dogecoin

Investidor de dogecoin (DOGE) processa Musk, Tesla e SpaceX por extorsão; bilionário teria manipulado o preço da criptomoeda para benefício próprio

Bruno Ignacio
Por

Nesta quinta-feira (16), Elon Musk, CEO da Tesla e da SpaceX, foi processado em US$ 258 bilhões por um investidor de dogecoin (DOGE), a criptomoeda favorita do bilionário. Ele foi acusado de operar um esquema de pirâmide envolvendo o ativo digital ao divulgar e manipular o preço da moeda, mesmo sabendo que ela “não tem nenhum valor”.

Elon Musk
Elon Musk (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

O processo foi movido em um tribunal federal de Nova York por Keith Johnson. O investidor acusou Musk, sua empresa de carros elétricos Tesla e sua companhia espacial SpaceX de extorsão. O homem argumenta que, ao divulgar o dogecoin e aumentar seu preço, o CEO operou o que ele chamou de “Esquema de pirâmide Dogecoin”.

Musk teria manipulado preço do dogecoin

Durante 2021, Musk chegou a se intitular de “dogefather” enquanto passou vários meses falando constantemente sobre o ativo. No Twitter, o bilionário compartilhava com frequência memes relacionados à moeda digital. As piadas eventualmente evoluíram para grandes anúncios, como uma viagem da SpaceX para a Lua paga em DOGE, ou a Tesla passando a aceitar pagamentos na criptomoeda.

Cada vez que bilionário falava na memecoin, o dogecoin disparava em preço. Em abril de 2021, o ativo baseado em um meme de um cachorro Shiba Inu subiu 200% em apenas 24 horas após um tweet de Musk.

Segundo a acusação de Keith Johnson, Musk e suas empresas “estavam cientes desde 2019 de que o dogecoin não tinha valor”, mas promoveram a criptomoeda para lucrar com sua negociação. “Musk usou sua posição como o homem mais rico do mundo para operar e manipular um esquema de pirâmide com o dogecoin para lucro, fama e diversão”, acrescenta a acusação.

O meme que inspirou as criptomoedas dogecoin e shiba inu (Imagem: Reprodução)
O meme que inspirou as criptomoedas dogecoin e shiba inu (Imagem: Reprodução)

O documento obtido pela Bloomberg também destaca vários comentários do famoso investidor Warren Buffett, do fundador da Microsoft Bill Gates e de outros questionando a legitimidade da criptomoeda. No entanto, não se sabe ainda quais evidências Johnson teria para fundamentar suas acusações. Afinal, ele teria que provar que o dogecoin “não tem valor” e que Musk e suas empresas operaram, de fato, um esquema de pirâmide.

Processo contra Musk pede US$ 258 bilhões

Johnson está pedindo US$ 86 bilhões em danos referentes ao declínio no valor de mercado do dogecoin desde maio de 2021, e quer triplicar o montante para US$ 258 bilhões. Além disso, ele também quer impedir que Musk e suas empresas promovam a criptomoeda e espera que um juiz declare a negociação de DOGE como um “jogo de azar” sob a lei federal e do estado de Nova York.

A acusação afirma que o declínio do dogecoin começou na época em que Musk apresentou o programa da NBC “Saturday Night Live” e, interpretando um especialista financeiro fictício, chamou a criptomoeda de “uma fraude”.

Declínio do dogecoin desde seu recorde de preço em maio de 2021
Declínio do dogecoin desde seu recorde de preço em maio de 2021 (Imagem: Reprodução/ CoinMarketCap)

Nesta quinta-feira, o dogecoin valia US$ 0,05 no momento de publicação desta matéria, um valor muito abaixo dos US$ 0,74 que a criptomoeda atingiu em seu recorde de maio de 2021. É natural que um investidor como Johnson se sinta lesado pelas ações de Musk. Mesmo assim, tanto o valor pedido na acusação quanto as demais medidas solicitadas ao tribunal parecem um tanto quanto surreais.

Com informações: Bloomberg