Notícias Brasil

YouTube supera WhatsApp como principal rede social de notícias no Brasil

Plataforma de vídeos bate WhatsApp e Facebook e conquista a liderança: 43% dos entrevistados usam o YouTube para acompanhar notícias

Giovanni Santa Rosa
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Acompanhar notícias pela internet já não é novidade, mas os sites e redes usados para esse fim estão em constante mudança. Um novo relatório do Reuters Institute mostra que o YouTube é agora a principal fonte de informações jornalísticas no Brasil. A plataforma de vídeos superou o WhatsApp e o Facebook para tomar a liderança.

YouTube
YouTube (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

De acordo com a edição de 2022 (link para PDF) do Digital News Reporte do Reuters Institute, 43% dos entrevistados usam o YouTube para notícias, quatro pontos percentuais a mais que no ano anterior (link para PDF).

O WhatsApp vem em segundo lugar, com 41%, dois pontos percentuais a menos do que em 2022.

Em 2021, a liderança pertencia ao Facebook. Agora, ele aparece em terceiro lugar, com 40%, uma queda de sete pontos percentuais.

Redes sociais abrem distância para TV

O YouTube cresceu, e não foi só ele. Uma informação interessante da pesquisa é que cada vez mais pessoas se informam pelas redes sociais, e menos usam a TV para acompanhar os acontecimentos.

As mídias sociais são fonte de notícias para 64% dos entrevistados, contra 55% que veem TV para se informar.

As redes sociais ultrapassaram a TV em 2021, mas a distância era bem menor: 63% contra 61%.

Instagram cresce, e TikTok aparece na lista

O crescimento das redes, porém, não é homogêneo. Enquanto o Facebook despencou e o YouTube subiu, o Instagram e o TikTok ganharam muito terreno.

O Instagram foi de 30% em 2021 para 35% em 2022. A rede permanece em quarto lugar, uma posição que parece bem consolidada — o Twitter, quinto colocado, está bem distante, com apenas 13%.

Já o TikTok fez sua estreia na lista do Reuters Institute, que traz as seis redes mais importantes em cada país.

O aplicativo de vídeos curtos está em sexto lugar e é usado por 12% dos entrevistados como fonte de informações jornalísticas, uma alta de cinco pontos percentuais em relação a 2021.

A pesquisa entrevistou 2.022 brasileiros entre janeiro e março de 2022. Os questionários ficaram sob responsabilidade da YouGov, e fontes de informação de pesquisas locais foram utilizadas.

Giovanni Santa Rosa

Giovanni Santa Rosa é formado em jornalismo pela ECA-USP e cobre ciência e tecnologia desde 2012. Foi editor-assistente do Gizmodo Brasil e escreveu para o UOL Tilt e para o Jornal da USP. Cobriu o Snapdragon Tech Summit, em Maui (EUA), o Fórum Internacional de Software Livre, em Porto Alegre (RS), e a Campus Party, em São Paulo (SP). Atualmente, é autor no Tecnoblog.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque