Notícias Brasil

Mercado Livre: clientes denunciam fraude em contas criadas usando seus CPFs

Como o Mercado Livre permite mais de um cadastro usando o mesmo CPF, consumidores são vítimas de uso indevido de dados e acabam suspensos

Giovanni Santa Rosa
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Ter seus documentos usados indevidamente em qualquer cadastro já seria motivo de dor de cabeça bastante. Com o Mercado Livre, porém, a situação parece um pouco mais complicada. Clientes do marketplace relatam que seus CPFs foram usados por terceiros indevidamente, sem seu conhecimento, para criar contas adicionais e cometer fraudes. A solução da empresa foi suspender todos os cadastros, legítimos e ilegítimos, prejudicando os consumidores. Para piorar, eles não conseguem atendimento da empresa.

Caixa do Mercado Livre (Imagem: Divulgação/Mercado Livre)
Caixa do Mercado Livre (Imagem: Divulgação/Mercado Livre)

Quem trouxe essa história foi o leitor Samuel Diniz Casimiro, que publicou seu relato na Comunidade do Tecnoblog. Ele diz que outra pessoa abriu uma conta no Mercado Livre usando seu CPF e praticou diversas fraudes.

Acontece que Samuel já tinha uma conta na plataforma há mais de dez anos. O sistema da loja, porém, unificou a legítima e a ilegítima e suspendeu seu cadastro permanentemente.

Insatisfeito, ele procurou a Justiça e ganhou o direito de ter sua conta reativada, mas a empresa não tomou essa medida. Ao tentar falar com o atendimento, Samuel diz só receber respostas de robôs, que não entendem a questão.

“O Mercado Livre é hoje a maior plataforma de e-commerce do Brasil, então ter a conta suspensa é uma enorme limitação de encontrar e produtos e fornecedores que só revendem por lá”, lamenta.

Outros clientes, histórias parecidas

O caso de Samuel não é o único desse tipo. No Reclame Aqui, há queixas semelhantes: clientes que tiveram seus dados usados indevidamente na criação de novas contas e que, por isso, não conseguem mais usar seu próprio cadastro.

A consumidora Mariana, de São Paulo (SP), diz que usaram indevidamente seu CPF no Mercado Pago, o que gerou uma denúncia contra ela e a suspensão permanente de sua conta. Assim como Samuel, ela se queixa de não conseguir falar com um funcionário, apenas com robôs.

“Ninguém me deixa explicar o que está havendo e eu só converso com máquinas, pelo visto, porque nem assinadas as mensagens são”, comenta no Reclame Aqui.

O cliente Diego, também de São Paulo (SP), conta que oito contas foram abertas usando seu CPF. Ele também reclama de só receber atendimentos automáticos, sem poder explicar seu caso.

No Twitter, mais episódios com pontos em comum. Em um deles, o cliente teve uma segunda conta aberta com seu CPF. O responsável por esse cadastro usou até mesmo seu nome, mas escrito de maneira diferente. O e-mail, porém, era outro.

Cliente do Mercado Livre reclama de fraude usando seu CPF
Cliente do Mercado Livre reclama de fraude usando seu CPF (Imagem: Reprodução / TwitteR)

Em todos os casos, a resposta da empresa parece ser a mesma: aplicar a norma de seus termos e condições contra fraude a todas as contas associadas ao CPF, mesmo as legítimas.

Mercado Livre permite mais de uma conta por CPF

O Tecnoblog testou e comprovou: é mesmo possível abrir mais de uma conta por CPF no Mercado Livre. O sistema não confere se há outro registro com o mesmo documento, ao contrário do que outros sites costumam fazer.

Além disso, o cadastro no marketplace inclui uma conta no Mercado Pago. Com ela, é possível movimentar dinheiro por boleto, TED e Pix, por exemplo.

O que diz o Mercado Livre

Após contato da reportagem do Tecnoblog, o Mercado Livre disse que a criação de mais uma conta com o mesmo CPF “se refere a produtos de empresas distintas do ecossistema” e que não é permitido criar “mais de uma conta com o mesmo CPF em um mesmo serviço”.

A empresa afirma fazer validações de documentos e provas de vida usando profissionais especializados e tecnologias, como inteligência artificial. Se o usuário identificar movimentações suspeitas, a recomendação é buscar a página “Acho que minha conta está em perigo“, na seção de ajuda.

Leia o comunicado na íntegra:

O Mercado Livre segue todas as normas estipuladas pela legislação brasileira e investe continuamente na segurança dos seus ambientes e serviços digitais, a fim de oferecer a melhor experiência aos seus usuários.

A criação de mais de uma conta com o mesmo CPF se refere a produtos de empresas distintas do ecossistema. Não é permitida a criação de mais de uma conta com o mesmo CPF em um mesmo serviço.

Para a abertura de contas, exigimos uma série de validações, tanto para pessoas físicas quanto pessoas jurídicas, como a validação de documentos e prova de vida, que são analisados por profissionais especializados e por tecnologias, como Inteligência Artificial, para assegurar a veracidade das informações.  

Além disso, hoje no Mercado Livre existem tecnologias como o segundo fator de autenticação para acesso ao aplicativo e realização de transações, que reforçam a segurança na utilização dos serviços financeiros da conta de pagamento.  Em todos os canais com o cliente, a empresa orienta seus usuários sobre os cuidados com o compartilhamento de suas informações pessoais.

O Mercado Livre destaca ainda que fornece diversos meios para a gestão dos dados dos seus usuários. Esses mecanismos estão descritos na Política de Privacidade do Grupo MercadoLivre (https://www.mercadolivre.com.br/privacidade) e em FAQs específicas, estando em total conformidade com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Além disso, o usuário pode entrar em contato com a ouvidoria do Mercado Livre para obter esclarecimentos.

Caso o usuário identifique movimentação suspeita, é possível reportar problemas em sua conta na página “Acho que minha conta está em perigo”, acessada por meio do menu de ajuda. E se o usuário tiver qualquer dúvida, pode entrar em contato por meio dos canais de atendimento oficiais, que contam com equipes dedicadas à proteção de dados, na seção Ajuda do app ou do desktop. 

Todas essas recomendações estão disponíveis nos Termos e Condições de Uso da plataforma, assim como na sua Política de Privacidade

Atualizado às 11h10 de 6/7 com o posicionamento do Mercado Livre.

Giovanni Santa Rosa

Giovanni Santa Rosa é formado em jornalismo pela ECA-USP e cobre ciência e tecnologia desde 2012. Foi editor-assistente do Gizmodo Brasil e escreveu para o UOL Tilt e para o Jornal da USP. Cobriu o Snapdragon Tech Summit, em Maui (EUA), o Fórum Internacional de Software Livre, em Porto Alegre (RS), e a Campus Party, em São Paulo (SP). Atualmente, é autor no Tecnoblog.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque