Notícias Internet

Crunchyroll reduz preço em quase 100 países, inclusive no Brasil

Serviço de streaming de animes controlado pela Sony, que conta com séries como Naruto, Demon Slayer e Attack on Titan, recebeu preços mais atraentes

André Leonardo
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

A Crunchyroll surpreendeu o público que acompanha animes ao redor do mundo com o anúncio de uma redução de preços nas assinaturas premium de seus serviços nesta segunda-feira (18). O corte atinge todos os planos oferecidos pelo serviço.

Hime, a "mascote" da Crunchyroll (Imagem: Divulgação/Crunchyroll)
Crunchyroll faz redução de preços no Brasil e outros países (Imagem: Divulgação/Crunchyroll)

A estratégia envolve o Brasil e quase 100 países, incluindo outros mercados emergentes como Índia, África do Sul e China. O corte de preços em território nacional atinge todas as assinaturas premium do serviço. 

Por exemplo, o preço da assinatura mensal do plano Mega Fan, que oferece mais benefícios como a exibição em até quatro telas e a possibilidade baixar episódios para assistir offline, foi reduzida de R$ 32,00 para R$ 19,99. A configuração completa dos planos no Brasil ficou da seguinte maneira: 

PlanoFanMega Fan
MensalR$ 25,00 (Antigo)
RS 14,99 (Novo)
R$ 32,00 (Antigo)
R$ 19,99 (Novo)
TrimestralR$ 70,00 (Antigo)
R$ 42,99 (Novo)
AnualR$ 215,00 (Antigo)
R$ 149,99 (Novo)
R$ 315,00 (Antigo)
R$ 199,99 (Novo)

Segundo o comunicado oficial, a redução de preços das assinaturas premium é uma maneira de agregar valor ao serviço. Além disso, segundo o FAQ oficial da empresa, o valor reduzido não causará impactos nos benefícios oferecidos em cada plano.

Aquisição pela Sony e olho no mercado

No segundo semestre de 2021 a Sony finalizou o processo de aquisição da Crunchyroll, que antes fazia parte da AT&T, por US$ 1,17 bilhão. Desde o dia 1º de março de 2022 a empresa começou a unificar os catálogos da Crunchyroll e da Funimation, seu outro serviço de transmissão de animes.

A redução de preços nas assinaturas premium se mostra um movimento interessante de olho no mercado para obter mais assinantes.

Os valores anteriores poderiam ser considerados menos competitivos para um serviço focado apenas na transmissão de animes.

Afinal, outros serviços de streaming que também oferecem animações japonesas, como Netflix, Prime Video e HBO Max, contam com catálogo mais abrangente de produções e suas assinaturas estavam com preços similares ou mais baixos do que o ofertado pela Crunchyroll.

Vale lembrar que a Crunchyroll também tem um plano gratuito com menos recursos e exibição de anúncios, o que pode ser uma alternativa para interessados em conhecer o catálogo da plataforma.

André Leonardo

Analista de Conteúdo

André Leonardo é jornalista e radialista formado pela UCAM, com MBA em Mídias Sociais. Trabalhou por 15 anos no mercado audiovisual em empresas como TV Brasil e TV Globo antes de entrar para o Tecnoblog, em 2020. Apaixonado por games, produziu conteúdo para sites e seu canal no YouTube. Já foi judoca, skatista e atualmente está começando a encarar corridas leves.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque