Notícias Aplicativos e Software

TikTok pausa novas contratações e deve fazer demissões ao redor do mundo

Plataforma de vídeos curtos da chinesa ByteDance pretende demitir funcionários nos Estados Unidos, Reino Unido e Europa

Wagner Pedro
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Como parte de uma reestruturação global, o TikTok deve demitir funcionários nos Estados Unidos, Europa e Reino Unido. A empresa, controlada pela chinesa ByteDance, também suspendeu novas contratações para expansão de equipes. Com isso, a plataforma de vídeos curtos se junta a outras gigantes da tecnologia que iniciaram demissões devido à crise econômica, como Netflix e Tesla.

Logotipo do TikTok
TikTok (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Segundo o Wired, a reestruturação inclui demissões, fechamento de cargos vagos e suspensão de contratação. Na manhã da última segunda-feira (18), alguns funcionários da Europa foram alertados que seriam demitidos nas próximas semanas. O mesmo aconteceu no Reino Unido, mas sem estipular um prazo, apenas avisando que haverá demissões em vários departamentos da empresa.

Já nos Estados Unidos, alguns funcionários só foram avisados quando chegaram para trabalhar. Em conversa ao site americano, um colaborador com conhecimento das mudanças não negou o processo de restruturação envolvendo demissões, mas infelizmente não informou o motivo dos cortes.

Outro funcionário disse que as demissões focam apenas em pessoas e equipes que os gerentes acreditam que estão apresentando um baixo rendimento, afirmando que o número é inferior a 100. Declarações anteriores e fontes internas sugerem que há pelo menos 10.000 funcionários nos Estados Unidos e Europa.

Apesar de o TikTok não ter confirmado o motivo das baixas, um ex-funcionário que deixou a empresa no início deste ano acredita que a reestruturação está relacionada ao clima econômico. “Não acho que o que está acontecendo aqui, com as demissões do TikTok, seja diferente do que está acontecendo no setor de tecnologia”, disse.

Demissões estão se tornando comum

O TikTok é apenas mais uma empresa a sofrer o impacto da economia global. A Netflix, por exemplo, demitiu 300 funcionários, enquanto a Tesla pretende cortar em 10% o número de colaboradores. O Google também reduzirá novas contratações e a Meta mencionou “tempos difíceis” em um memorando interno.

Ou seja, até as grandes companhias passam por dificuldades, muito em parte devido à crise econômica, guerra na Ucrânia ou a presença de mais concorrentes.

Com informações: Wired e Engadget.

Wagner Pedro

Autor

Wagner Pedro é um paraibano “arretado” apaixonado por smartphones e cobre tecnologia desde 2017. Autodidata desde a época dos PCs de tubo, internet discada e Windows XP, buscou conhecimento em pequenos cursos de Informática e uniu essa paixão ao jornalismo. Ainda sente falta do extinto Windows Phone.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque