Notícias Aplicativos e Software

Plano da Netflix com anúncios pode não ter catálogo completo

Novos acordos com estúdios podem dificultar liberação do catálogo; conteúdos originais estarão disponíveis

Wagner Pedro
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

A Netflix lançará um plano com anúncios em 2023. A proposta visa aumentar a receita da empresa, que registrou perda de quase 1 milhão de usuários no segundo trimestre deste ano. No entanto, segundo informações do co-CEO da gigante do streaming, essa nova assinatura não deve oferecer acesso completo ao catálogo da plataforma.

Logotipo da Netflix com pipoca
Netflix (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

Em conversa ao Deadline, Ted Sarandos, co-CEO da Netflix, disse que o plano mais acessível exige novos acordos com estúdios, algo que pode demorar ou até mesmo nunca acontecer, dificultando a liberação de todo o catálogo.

Por outro lado, Sarandos informou que a “grande maioria” do conteúdo estará disponível no plano com anúncios logo após o lançamento, incluindo as produções originais da Netflix.

O último relatório financeiro da empresa revelou que o pacote mais barato será lançado “no início de 2023”, sem informar uma data exata ou preço a ser cobrado. No entanto, espera-se um valor abaixo do plano básico que, no Brasil, custa R$ 25,90 por mês.

Netflix quer focar no aumento da receita

A crise econômica global tem afetado a Netflix. A solução, a curto prazo, é acelerar o crescimento da receita, seja lançando um plano com anúncios ou cobrando uma taxa extra de quem divide a senha da conta com pessoas de fora da sua casa, algo que a própria empresa considera como um dos motivos da queda de assinantes.

Apesar de ter perdido 970 mil usuários no segundo trimestre deste ano, a expectativa da empresa para os meses de julho, agosto e setembro é positiva (mas não muito), com crescimento de 1 milhão de novos clientes — especialistas projetavam um aumento de 1,84 milhão.

Com informações: Deadline e 9To5Mac.

Wagner Pedro

Autor

Wagner Pedro é um paraibano “arretado” apaixonado por smartphones e cobre tecnologia desde 2017. Autodidata desde a época dos PCs de tubo, internet discada e Windows XP, buscou conhecimento em pequenos cursos de Informática e uniu essa paixão ao jornalismo. Ainda sente falta do extinto Windows Phone.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque