Processo da Nokia impede venda de celulares Oppo e OnePlus na Alemanha

Tribunal proibiu a comercialização de smartphones por supostas violações de patentes 5G; bloqueio pode afetar outros países da Europa

Wagner Pedro
Por

Duas grandes fabricantes de smartphones saíram da Alemanha (mas não por vontade própria). O Tribunal Regional de Munique aprovou uma ordem judicial em favor da Nokia que proíbe a venda de celulares Oppo e OnePlus no país. O caso envolve supostas violações de patentes 5G licenciadas pela finlandesa.

Oppo Reno7
Oppo Reno 7 (Imagem: Divulgação/Oppo)

Em julho deste ano, o Tribunal Distrital de Mannheim ordenou que as empresas chegassem a um acordo com a Nokia, mas como nada foi resolvido, a proibição entrou em vigor na última sexta-feira (5). Lembrando que essa Nokia é a fabricante de equipamentos de telecomunicações, não a marca Nokia gerida pela HMD Global.

Em conversa com o Android Police, um porta-voz da Oppo afirmou que o problema envolve um acordo para licenciamento de tecnologia 5G, com a gigante finlandesa exigindo uma taxa de licenciamento de renovação excessivamente alta — 2,50 euros por smartphone vendido.

Por conta da ordem judicial, a Oppo removeu qualquer menção a seus smartphones no site alemão. No entanto, a empresa alertou que a restrição não afeta os clientes existentes. Ou seja, quem já tem um aparelho da marca pode continuar usando-o normalmente, inclusive para solicitar suporte e receber futuras atualizações.

A chinesa também revelou que não está saindo completamente da Alemanha, pois continuará vendendo outros produtos, como fones de ouvido e acessórios.

No caso da OnePlus, a situação é a mesma, já que os clientes não conseguem adquirir novos smartphones em seu site oficial. A única “solução” é comprar em plataformas como a Amazon, mas apenas enquanto durarem os estoques.

Proibição pode afetar outros países

Por mais que o cenário não seja favorável, a Oppo confirmou ao Android Police que está trabalhando para resolver o problema, mas ainda não há previsão de quando (ou se) a proibição será removida. Estima-se que a empresa tenha uma participação de 10% no país, com cerca de dois milhões de smartphones vendidos anualmente.

Vale ressaltar que, além da Alemanha, a Nokia também processou a Oppo, OnePlus e outras empresas controladas pela BBK, como Realme e Vivo, em mais países da Europa, como França, Finlândia, Suécia, Espanha e Holanda. Portanto, se o tribunal também decidir a favor da finlandesa, o bloqueio pode atingir diversos mercados importantes.

Com informações: Android Police e AndroidAuthority.