Notícias Aplicativos e Software

CEO do Telegram culpa Apple por demora em atualização “revolucionária”

Pavel Durov, fundador e CEO do Telegram, criticou Apple (de novo) por demora de duas semanas na aprovação de nova versão do aplicativo

Emerson Alecrim
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Não é novidade que a App Store tem um processo de revisão de aplicativos rigoroso. Mas, para Pavel Durov, fundador e CEO do Telegram, esse processo é rigoroso demais. Ele reclama que a próxima versão do app, que irá “revolucionar a forma como as pessoas se expressam em mensagens”, só não foi liberada ainda por ter ficado “presa” na Apple por duas semanas.

Telegram
Telegram (imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Durov não explica o que a nova versão tem de revolucionária. Na verdade, o texto que o empresário publicou nesta semana, usando o próprio Telegram, serve para criticar abertamente o que ele chama de “monopólios da tecnologia”.

O fundador do Telegram afirma que a próxima atualização do aplicativo ficou presa por duas semanas no processo de revisão da App Store, sem que alguém da empresa fornecesse uma explicação para tamanha demora. Em seu entendimento, essa falta de comunicação não só é revoltante, como causa prejuízo:

Se o Telegram, um dos 10 aplicativos mais populares do mundo, está recebendo esse tratamento, só podemos imaginar as dificuldades experimentadas por desenvolvedores de aplicativos menores. Não é apenas desmoralizante: isso causa perdas financeiras diretas a centenas de milhares de aplicativos móveis em escala global.

Pavel Durov também afirma que esse prejuízo se soma à taxa de 30% que Apple e Google cobram em compras realizadas dentro de aplicativos distribuídos em suas lojas.

Na mesma mensagem, Durov reconhece que a União Europeia e outros países estão investigando essas lojas, mas afirma que “os danos econômicos infligidos pela Apple na indústria de tecnologia não serão recuperados”.

Pavel Durov (imagem: Flickr/TechCrunch
Pavel Durov (imagem: Flickr/TechCrunch)

Não é a primeira crítica de Durov à Apple

O CEO do Telegram tem um histórico de atritos contra a Apple. Em maio de 2018, por exemplo, Durov reclamou que a companhia deixou de atualizar o aplicativo após o governo da Rússia determinar o bloqueio do Telegram.

Na ocasião, o governo russo pediu ajuda da Apple para bloquear o app, mas a companhia foi além: em vez de restringir o acesso ao Telegram somente no Rússia, o fez no mundo todo. O aplicativo não chegou a ser removido da loja, mas ficou algumas semanas sem ser atualizado. O problema foi resolvido alguns dias depois da crítica.

Em meados de 2020, Durov voltou a reclamar da Apple. Ele criticou a famigerada taxa de 30% da App Store e as políticas da loja que, naquela época, fizeram o aplicativo do Telegram ficar dias sem atualização. A novela se repete agora.

Apple e Telegram foram procuradas pelo The Verge para comentar o caso mais recente, mas não deram retorno.

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais, negócios e transportes. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém um site chamado Infowester.

Mais Populares

Relacionados

Em destaque