Demorou, mas o Nubank finalmente aderiu ao open finance

Open finance permite que usuário compartilhe vida financeira com diferentes instituições; Nubank vai liberar sistema para clientes em breve

Emerson Alecrim
Por

O Nubank é a mais recente instituição financeira a aderir ao open finance no Brasil. O anúncio oficial foi feito nesta terça-feira (6). Como esse tipo de sistema permite o compartilhamento de histórico financeiro com diferentes instituições, o cliente Nubank poderá, em tese, obter crédito mais barato ou contratar serviços mais facilmente.

Nubank no celular (imagem: Vitor Pádua/ Tecnoblog)
Nubank no celular (imagem: Vitor Pádua/ Tecnoblog)

A resolução que cria o open finance foi publicada pelo Banco Central em março. Até então, o conceito era chamado de open banking. O órgão mudou a nomenclatura oficial por entender que o compartilhamento de dados financeiros envolve não só bancos, mas também instituições como seguradoras, cooperativas de crédito e fintechs de vários tipos.

Embora a implementação do open finance tenha começado em 2021 (com o nome antigo), as regras do Banco Central determinam que somente grandes bancos de varejo incorporem o novo sistema de modo obrigatório. As demais instituições têm adesão opcional.

É por isso que, até recentemente, o Nubank não fazia parte desse movimento. Tarde ou não, o fato é que a companhia finalmente está abraçando a ideia, como conta a cofundadora e CEO Cristina Junqueira:

Com o open finance, vamos conhecer ainda mais nossos clientes, o comportamento financeiro deles, necessidades de limite de crédito, gastos, produtos e serviços que utilizam, o que vai nos permitir melhorar cada vez mais nosso portfólio para eles, que são o centro de tudo que fazemos aqui no Nu.

Adesão do Nubank ao open finance é gradual

O próprio Nubank destaca, porém, que a adesão ao open finance segue um processo gradual. Isso porque o recurso ainda está em teste. A companhia não deu um prazo exato, mas informou que o open estará disponível “em breve” para todos os seus 62,3 milhões de clientes no Brasil.

É importante esclarecer que a adesão ao sistema não significa que os dados financeiros dos clientes serão automaticamente compartilhados com outras instituições. Essa ação é voluntária, ou seja, deve ser executada pelo próprio usuário.

Mas há vantagens nisso? Depende dos objetivos. Suponha que você queira contratar um empréstimo. Ao transferir o seu histórico financeiro de um banco para o Nubank, este último poderá analisar os dados informados para considerar a oferta de um valor maior ou de juros mais baixos.

Outro exemplo: imagine que você queira financiar a compra de um carro. Você pode, então, permitir que seu histórico de transações no Nubank seja analisado por uma financeira para aumentar as chances de a transação ser aprovada.

Por fim, vale destacar que, independentemente da instituição, você pode compartilhar dados financeiros por um determinado período de tempo, bem como escolher as informações que serão compartilhadas. Também é possível suspender o procedimento a qualquer momento.