Sony lança novo PS5 com AMD de 6 nm para consumir menos e não avisa ninguém

Revisão do PlayStation 5 traz chip AMD Oberon Plus de 6 nanômetros; novidade reduz demanda por energia e esquenta menos

Emerson Alecrim
Por

A Sony continua colocando versões revisadas do PlayStation 5 (PS5) no mercado. A mais recente consiste em uma variação mais leve que as anteriores e que esquenta menos. Mas o principal atributo é este: o console conta com um chip AMD Oberon Plus, de 6 nanômetros.

PlayStation 5
PlayStation 5 (imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Internamente, a Sony identifica a revisão mais recente do PlayStation 5 como CFI-1200 — para ser exato, como CFI-1202. O chip Oberon Plus do modelo é fabricado com um processo de 6 nanômetros da TSMC. Só para constar, o chip do PS5 original conta com tecnologia de 7 nanômetros.

PS5 mais leve e menos esquentadinho

Na primeira olhada, o novo chip não parece representar uma mudança impactante. Mas só na primeira olhada. A verdade é que a diferença de nanômetros contribui para o console consumir menos energia e, portanto, gerar menos calor. Se a temperatura diminui, o sistema de resfriamento pode ser menos complexo.

As primeiras unidades do PS5 CFI-1202 chegaram à Austrália no final de agosto. Sem perder tempo, o youtuber Austin Evans não só pôs as mãos em uma delas como desmontou o console.

No vídeo do procedimento, Evans comprova que o PlayStation 5 revisado demanda menos energia e é mais leve. O uso de um mecanismo de resfriamento menor em relação às versões anteriores certamente contribui para isso.

A redução de peso é de aproximadamente 500 gramas. Já o consumo de energia é estimado em algo entre 20 e 30 W a menos em relação ao modelo original.

Curiosamente, só agora é que as informações sobre o Oberon Plus surgiram. O site Angstronomics revela que o novo chip tem um aumento de 18,8% na densidade dos transistores. Já o die (matriz) é de 260 mm², contra cerca de 300 mm² do chip anterior.

Oberon Plus de 6 nm à esquerda, Oberon de 7 nm à direita (imagem: reprodução/Angstronomics)
Oberon Plus de 6 nm à esquerda, Oberon de 7 nm à direita (imagem: reprodução/Angstronomics)

Não está claro o que essa mudança significa em termos de desempenho. De todo modo, tudo indica que a revisão CFI-1202 foi desenvolvida principalmente para diminuir os cursos de produção do console.

Repare até que o visual externo pouco ou nada muda na comparação com as versões anteriores. Como aponta Austin Evans, as mudanças são substancialmente internas, envolvendo não só componentes, mas a posição física destes.

Aparentemente, a redução de custos alcançada nesta revisão é de 12%. Mas isso não implica, necessariamente, redução de preços para os consumidores.

YouTube video

Uma revisão, não um novo console

Será que o PlayStation 5 terá uma versão Slim ou Pro, a exemplo da geração anterior? Talvez. Há rumores até de que um PS5 com drive externo será lançado em 2023. Mas, por ora, a Sony está centrada em otimizar o PS5 original.

Digamos que esse é um ritual. Basta lembrarmos que, em meados de 2021, a Sony liberou a revisão CFI-1100 do PS5.

Vale destacar que a revisão CFI-1202 é dividida em CFI-1202A (versão com Blu-ray) e CFI-1202B (versão digital). Esta última é a que foi analisada por Evans.

Val destacar também que a Austrália vem sendo o primeiro país a receber as revisões do PS5, com o Japão aparecendo na sequência. Quanto ao Brasil, ainda não há novidades.

Com informações: Wccftech.

Relacionados

Relacionados