TikTok avança em acordo com EUA sobre segurança de dados para evitar venda

Nova reportagem do NYT revela que acordo deve mudar como o app funciona ou lida com os dados compartilhados; TikTok disse estar "confiante" sobre as negociações

Yan Avelino
Por

De acordo com uma nova reportagem do The New York Times, o governo Biden e o TikTok podem estar perto de um acordo para manter o funcionamento do app em terras americanas. Segundo o NYT, “quatro pessoas com conhecimento das discussões” disseram que, nos últimos meses, os EUA elaboraram um acordo preliminar com o aplicativo “para resolver questões de segurança nacional”.

Logotipo do TikTok
TikTok (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

Desde a era Trump, o governo americano encara o TikTok como um risco à segurança nacional. Isso porque a rede social pertence à ByteDance, companhia sediada na China, principal concorrente comercial dos Estados Unidos.

Diferente do ex-presidente americano, que tentou forçar a venda e banir o aplicativo, tudo indica que Biden se aproxima de um acordo para manter o funcionamento do aplicativo no país.

Por se tratar de um acordo mantido em sigilo, pouco se sabe sobre ele. Ainda assim, fontes confirmaram ao NYT que há três pontos principais que devem mudar como o TikTok funciona ou lida com os dados compartilhados.

O primeiro deles tenta justamente impedir que funcionários chineses tenham acesso aos dados de americanos. Para isso, essas informações deveriam ser armazenadas em servidores nos Estados Unidos e não na China, como acontece atualmente.

O segundo ponto visa bloquear qualquer propaganda chinesa ou campanhas de desinformação. Dessa forma, caberia à Oracle, que possui sede no Texas, monitorar o que seria recomendado pelos algoritmos do TikTok.

Já o terceiro ponto afirma que deverá se formar um conselho de especialistas em segurança para o aplicativo. O objetivo desse grupo seria de supervisionar as operações da rede social e se reportaria diretamente ao governo dos Estados Unidos.

Negociar não foi uma empreitada fácil

Fontes afirmaram ao The New York Times que o TikTok teria concordado em mudar como coleta os dados e ceder o controle sobre eles para a Oracle — isso, claro, desde que a ByteDance mantivesse a titularidade sobre o aplicativo.

No entanto, o NYT alegou que as negociações não foram fáceis. A reportagem também diz que alguns servidores do Departamento de Justiça e do Departamento do Tesouro dos EUA teriam criticado o projeto. Para eles, esse acordo não era duro o suficiente para a China ou não seria o suficiente para resolver os riscos à segurança nacional.

TikTok no iPhone (Imagem: Kon Karampelas/Unsplash)
TikTok no iPhone (Imagem: Kon Karampelas/Unsplash)

Embora ambas as partes já estejam com negociações bastante avançadas, uma resolução final pode ser arrastada por meses, disse uma fonte. Isso porque alguns pontos ainda não foram resolvidos e, em novembro, os Estados Unidos terão a eleição do Congresso.

Procurado, o TikTok disse estar “confiante” de que está “no caminho de satisfazer plenamente todas as preocupações razoáveis de segurança nacional dos EUA”. Já a Casa Branca e o Departamento de Justiça dos EUA não comentaram sobre o acordo.

Com informações: Reuters, The New York Times

Relacionados

Relacionados