Policial é preso nos EUA suspeito de tentar vender dados confidenciais por US$ 85 mil

Homem foi detido em flagrante na última quarta-feira (28) na cidade de Denver, no Colorado; suspeito negociava informações com agente do FBI disfarçado

Yan Avelino
Por

Um ex-funcionário da Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA) foi preso na última quarta-feira (28). Jareh Sebastian Dalke, de 30 anos, é suspeito de tentar vender informações confidenciais da defesa nacional por US$ 85 mil. Segundo a Justiça americana, Dalke violou a Lei de Espionagem, o que pode acarretar em uma possível sentença de morte ou prisão perpétua.

Polícia dos EUA
Homem foi preso em flagrante na última quarta-feira (28). (Imagem: Michael Förtsch/Unsplash)

Entre agosto e setembro deste ano, Dalke teria usado uma “conta de e-mail criptografada para vazar trechos de três documentos confidenciais que obteve durante seu emprego”. O suspeito negociava com alguém que ele acreditava trabalhar para um governo estrangeiro, mas, na verdade, se tratava de um agente do FBI disfarçado.

Em troca dos arquivos, o agente ainda pagou cerca de US$ 16 mil para Dalke, que pediu mais US$ 85 mil por todas as outras “informações atualmente em sua posse”. De acordo com o mandado de prisão, o criminoso alegou que precisava pagar uma dívida de US$ 237 mil.

Dalke foi preso em flagrante na Union Station, uma estação de trem no centro de Denver, local onde marcou com o agente do FBI para transferir os documentos que dizia ter. Os arquivos, segundo ele, diziam respeito a ataques estrangeiros a sistemas dos EUA e informações sobre operações cibernéticas do país.

Em depoimento, Dalke disse que se afastou da NSA em 28 de junho, afirmando que precisava tirar uma licença por causa de uma “doença familiar” e que precisava de nove meses de folga. No entanto, durante as mensagens que trocou com o agente disfarçado, o criminoso alegou ainda ser funcionário da Agência.

De acordo com um comunicado de imprensa e alguns registros estaduais, o suspeito é um policial do Colorado que serviu na Reserva Compartilhada de Aplicação da Lei do Colorado Rangers, uma organização voluntária que fornece policiais da reserva para agências em todo o estado.

Justiça acredita que criminoso venderia dados para a Rússia

Para a Justiça, Dalke acreditava se comunicar com “um país com muitos interesses adversos aos Estados Unidos” — ou seja, a Rússia. Coincidentemente ou não, o suspeito diz ter proficiência em russo e espanhol.

Nos e-mails que trocou com o agente do FBI, o criminoso expressou uma certa desilusão com o governo dos Estados Unidos. “Este país não é tão grande quanto pensa que já foi”, disse.

“É tudo sobre as empresas e seu dinheiro, não sobre as pessoas ou aqueles que servem para incluir os militares”, acrescentou o suspeito.

De acordo com o mandado de prisão, ele também disse ao agente que “recentemente soube que minha herança está ligada ao seu país, o que é parte do motivo pelo qual vim até você em vez de outros.”

Com informações: The Verge

Relacionados

Relacionados