Europa aprova lei que torna USB-C padrão em celulares (até em iPhones)

Por 602 votos a favor e 13 contra, Parlamento Europeu aprova legislação que torna USB-C padrão em celulares e outros dispositivos

Emerson Alecrim
Por

Em uma votação realizada nesta terça-feira (4), o Parlamento Europeu aprovou a legislação que estabelece a porta USB-C como padrão para recarga de celulares e outros dispositivos móveis. Válidas para todos os 27 países que formam a União Europeia, as novas regras devem entrar em vigor até o final de 2024.

USB-C no Oppo Reno 7 (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
USB-C no Oppo Reno 7 (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

A votação teve 602 votos a favor, 13 contrários à proposta e oito abstenções. Esse cenário deixa claro que a resistência às novas regras é baixíssima. De fato, as discussões anteriores indicavam que a aprovação não seria difícil.

Apesar disso, a votação contou com alguma “dramatização”. A Bloomberg relata que o parlamentar Alex Agius, um dos principais defensores da padronização, declarou: “estamos substituindo esta pilha de carregadores por apenas isso”. Ele mostrava vários carregadores juntos e, depois, segurava um único cabo USB-C.

Para diminuir o lixo eletrônico

Em junho, os legisladores europeus chegaram a um acordo para tornar a porta USB-C um padrão (a votação de hoje é uma etapa de formalização da proposta). Na ocasião, Agius resumiu bem o objetivo da proposta:

Consumidores europeus estavam frustrados há muito tempo por terem vários carregadores se acumulando a cada novo dispositivo. Agora, eles poderão usar um carregador único em todos os seus eletrônicos portáteis.

A padronização visa justamente diminuir a quantidade de cabos e carregadores em circulação, o que deve contribuir para a redução do lixo eletrônico. Com base nisso, o usuário que trocar de celular poderá manter o carregador anterior, afinal, tanto o antigo quanto o novo seguirão o padrão USB-C.

Nas estimativas da Comissão Europeia, os consumidores poderão ainda economizar cerca de 250 milhões de euros por ano ao reaproveitarem cabos e carregadores.

Em resumo, as regras determinam que dispositivos como celulares, tablets e câmeras à venda na União Europeia tenham porta USB-C para recarga até o final de 2024. Em 2026, a obrigatoriedade se estenderá a notebooks.

Agius celebrou a aprovação da proposta:

O carregador comum finalmente será uma realidade na Europa. Esperamos mais de dez anos por estas regras e finalmente a atual infinidade de carregadores eletrônicos fará parte do passado. Esta lei permite o desenvolvimento de soluções de carregamento eletrônico inovadoras e beneficiará a todos — dos consumidores ao ambiente.

Mas e a Apple?

Com exceção para alguns poucos modelos de baixo custo, portas USB-C já são adotadas massivamente em celulares e tablets. O conector também está presente em fones de ouvido, caixas de som Bluetooth, leitores de e-books e notebooks, por exemplo.

Então, para a indústria, a legislação recém-aprovada não deve ser um problema. Exceto para um player poderoso: a Apple.

Lightning no iPhone 12 Mini e iPhone XR (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Lightning no iPhone 12 Mini e iPhone XR (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

A companhia usa um padrão próprio — a porta Lightning — no iPhone. Por conta disso, a Apple criticou veementemente a proposta, tendo como base o argumento de que a padronização reduz a inovação.

Outro argumento usado pela empresa é o de que a mudança obrigará os usuários de iPhone a se desfazerem de cabos e acessórios com Lightning, situação que terá o efeito de aumentar o lixo eletrônico.

Mas a argumentação não convenceu a Comissão Europeia. Tanto é assim que são crescentes os rumores de que a Apple vem testando iPhones com conexão USB-C. A companhia já adota esse padrão em Macs e no iPad Pro, por exemplo.

Anatel também estuda padrão para o Brasil

A adoção do USB-C como padrão também vem sendo proposta em outras regiões. O Brasil não é exceção. Por aqui, a Anatel abriu, em junho, uma consulta pública sobre padronização de carregadores de celulares.

O procedimento foi encerrado no final de setembro e poderá servir de base para que um conjunto de regras de padronização seja apresentado em um futuro próximo.

Novamente, isso não deve ser um problema para a maioria dos fabricantes, pois portas USB-C já são comuns em dispositivos móveis vendidos no Brasil.

Relacionados

Relacionados