Ameaçado pelos concorrentes, Tizen OS chegará a TVs que não são da Samsung

Sistema chegará em alguns modelos de TVs na Europa, Ásia e Oceania ainda neste ano; Samsung diz que abertura contemplará fabricantes do mundo todo em breve

Yan Avelino
Por

Nesta segunda-feira (10), a Samsung confirmou os nomes das primeiras marcas de TVs que receberão o Tizen OS. A abertura do sistema, anunciada no ano passado, contemplará inicialmente os dispositivos da Bauhn, da Linsar, da Sunny e da Vispera. Segundo a sul-coreana, os modelos estarão disponíveis na Austrália, Espanha, Itália, Nova Zelândia, Reino Unido e Turquia ainda neste ano.

Tizen ganha nova interface e novos recursos (Imagem: Divulgação)
Tizen OS chegará para fabricantes de terceiros na Europa, Ásia e Oceania (Imagem: Divulgação/Samsung)

Com a chegada do Tizen OS em TVs que não são da Samsung, as empresas agora poderão oferecer acesso a recursos antes exclusivos da sul-coreana. É o caso da Bixby, a assistente pessoal que permite realizar buscas em todo o sistema e executar diversos comandos.

Outros recursos que também vão chegar às marcas de terceiros, são: o Samsung TV Plus, plataforma gratuita que dá acesso a canais ao vivo dos mais variados gêneros, e o Guia Universal, função que permite uma navegação mais fluida entre os conteúdos e recomenda filmes, séries e programas de TV para que os usuários descubram o que assistir.

Ainda não há informações se os dispositivos de terceiros com Tizen OS chegarão ao Brasil. No entanto, Yongjae Kim, executivo da Samsung, comentou que a empresa continuará “a expandir o programa de licenciamento e equipará o Tizen OS e seu ecossistema para mais produtos e marcas em todo o mundo.”

Tizen OS tem perdido mercado para concorrência

A Samsung parece ter desistido da ideia de equipar seus relógios inteligentes e smartphones com o Tizen OS. No entanto, as TVs continuam sendo a “galinha dos ovos dourados” para a sul-coreana, especialmente porque, segundo levantamentos, a empresa é a fabricante mais vendida no mundo.

Ainda assim, os números de participação no mercado mostram que, até 2020, a fatia do Tizen OS encolheu sutilmente, ao passo que concorrentes como Android TV, webOS e até o Roku subissem. Por isso, no ano passado, a Samsung decidiu abrir seu sistema para outras empresas — coisa que a LG também fez.

Tal como o TechCrunch apontou, esse acordo pode servir como uma oportunidade extremamente viável para a gigante da Coreia do Sul aumentar sua presença no mercado e lucrar ainda mais com o licenciamento do sistema.

Quem também sai beneficiada diante da abertura do SO são as empresas de terceiros, que não se preocuparão em desenvolver um sistema, garantindo uma boa experiência de usuário, graças à posição consolidada do Tizen OS.

Com informações: Samsung, TechCrunch

Relacionados

Relacionados