Oi propõe juntar 50 ações em uma para elevar preço dos papéis

Ações da Oi vêm sendo negociadas a menos de R$ 1, o que fere regras da bolsa de valores B3 e pode resultar na suspensão dos papéis

Giovanni Santa Rosa
Por

Em recuperação judicial desde 2016, as ações da Oi têm sido negociadas a valores abaixo de R$ 1, e isso pode ter consequências negativas. A empresa aprovou uma proposta para juntar 50 papéis em um só, como forma de manter os preços altos. A decisão ainda precisa passar por uma assembleia de acionistas.

Logo da Oi na frente de notebooks
Oi (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

Essa operação é chamada de grupamento ou inplit. Quando as ações estão muito baratas, como é o caso da Oi, as empresas podem juntar vários papéis em um só, que será mais caro.

Ações negociadas a menos de R$ 1 são chamadas de penny stocks — “penny” é como os americanos chamam sua moeda de um centavo. Essas ações baratíssimas são um problema.

Com valores baixos, elas não atraem investidores, diminuindo seu volume de negócios, o que afeta sua liquidez.

Além disso, qualquer variação de centavos em seu preço representa um percentual relevante — R$ 0,10 a mais ou a menos não quer dizer muita coisa para uma ação de R$ 50, mas é 10% de uma ação de R$ 1. Isso significa uma volatilidade muito grande.

A B3 determina que, caso as ações sejam negociadas por menos de R$ 1 por mais de 30 pregões consecutivos, a empresa precisa tomar medidas para impedir que isso continue acontecendo antes da próxima reunião de acionistas, sob pena de suspensão das negociações. O grupamento é uma das soluções possíveis.

Proposta da Oi precisa ser aprovada por acionistas

A proposta aprovada pelo conselho da Oi prevê reduzir o número de ações de 6,6 bilhões para 132 milhões.

Os papéis da empresa fecharam o pregão de segunda-feira (17) valendo R$ 0,81 (ações preferenciais) e R$ 0,36 (ações ordinárias). O grupamento poderia levá-las para a casa dos R$ 40 e R$ 20, respectivamente.

A assembleia geral de acionistas será convocada para dia 18 de novembro. Caso a proposta seja aprovada, eles terão 30 dias para ajustar suas posições em múltiplos de 50 para a conversão.

A Oi diz que o inplit permitirá que as ações voltem a fazer parte do Ibovespa, principal índice de ações do Brasil.

Empresa quer encerrar recuperação judicial

A Oi entrou com um pedido de recuperação judicial em 2016. Na época, a empresa tinha R$ 65,4 bilhões em dívidas.

De lá para cá, a empresa se livrou de várias partes de sua operação. A Oi Móvel é o maior exemplo disso: ela foi vendida para Claro, TIM e Vivo. Além disso, seu negócio de TV via satélite e sua participação na empresa de fibra ótica V.tal foram repassados a outras empresas.

A dívida líquida da empresa é de cerca de R$ 16 bilhões. Em agosto de 2022, a Oi pediu o encerramento do processo de recuperação judicial. O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) fez algumas ressalvas.

Com informações: Poder360, TeleSíntese.

Relacionados

Relacionados