Novo iPad (10ª geração) tem USB-C tão lento quanto o Lightning, mostram análises

Apesar de ter a porta mais moderna, novo dispositivo transfere dados a "passos vagarosos"; decisão pode adiantar como a Apple deve adotar USB-C nos iPhones

Yan Avelino
Por

Poucos dias após ser lançado, o The Verge analisou o novo iPad (10ª geração) e se surpreendeu: a porta USB-C implementada no tablet transfere dados em até 480 Mb/s, a mesma do USB 2.0. Assim, o site concluiu que, apesar de ter uma porta mais moderna, ela é tão lenta quanto o Lightning, usado na versão anterior do gadget — e isso pode ter deixado claro qual será a política da Apple daqui para frente.

Novo iPad (10ª geração) (Imagem: Divulgação/Apple)
Novo iPad (10ª geração) (Imagem: Divulgação/Apple)

Comparativamente, todos os outros modelos de iPads que têm porta USB-C suportam transferências de dados mais rápidas, como é o caso dos modelos equipados com o chip M1 (ou M2).

Os iPads Pro mais recentes, por exemplo, têm compatibilidade com Thunderbolt 3 e chegam a velocidades de até 40 Gb/s. Já o iPad Air (5ª geração) pode transferir dados em até 10 Gb/s; o iPad Air (4ª geração) e o Mini (6ª geração) contam com velocidade de até 5 Gb/s.

De fato, essa limitação pode não ser muito importante, dado que o novo iPad de 10ª geração é um modelo considerado “básico” e “de entrada”. Ainda assim, esses dados podem desanimar alguns usuários que queiram transferir dados para o iPad mini, Air ou Pro.

Quem também comprovou em testes práticos que a porta USB-C no iPad (10ª geração) é mais lenta do que nos outros modelos foi o Max Tech. Ao tentar transferir um vídeo de 24,6 GB do tablet para um SSD, foram necessários cerca de 10 minutos — segundo o youtuber, a mesma ação teria durado um minuto no Mac.

YouTube video

Decisão pode adiantar como a Apple deve adotar USB-C nos iPhones

A chegada de uma porta USB-C com taxas de transferência de dados semelhante ao (batido) Lightning pegou os analistas e os usuários de surpresa. Essa decisão da Apple, portanto, deve se estender aos modelos de iPhones.

Já há quem aposte que, no próximo ano, a empresa deverá adotar um USB-C mais rápido apenas iPhones da linha Pro, enquanto os modelos mais básicos contariam com a porta similar ao Lightning.

Vale lembrar que, há alguns dias, Greg Joswiak, vice-presidente sênior de marketing mundial da Apple, confirmou que a empresa vai cumprir a nova lei da União Europeia. Afinal, até 2024, todos os dispositivos eletrônicos na UE devem ter um padrão de carregamento comum, o USB-C.

Alto-falante e porta Lightning do iPhone 12 Mini (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Alto-falante e porta Lightning do iPhone 12 Mini (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Ao Wall Street Journal, Joswiak criticou a UE pela regulamentação, admitindo que ambos os lados estão em “um pouco de desacordo”. “Achamos que a abordagem teria sido melhor ambientalmente e melhor para nossos clientes não ter um governo tão prescritivo”, disse.

Enquanto a proposta ainda tramitava, a Apple até demonstrou insatisfação. Segundo ela, a obrigação deverá trazer mais custos aos consumidores e que vai limitar a inovação. Ainda assim, a crítica não convenceu os legisladores.

Para a União Europeia, a nova lei visa diminuir o desperdício, dado que os usuários não precisam comprar um novo carregador toda vez que compram um dispositivo. Para o bloco econômico, a regulamentação deve reduzir a produção e o descarte de novos carregadores.

Com informações: MacRumors e The Verge

Relacionados

Relacionados