Elon Musk deve começar corte de 50% dos funcionários do Twitter nesta sexta (4)

Ao todo, 3.700 funcionários devem ser mandados embora da rede social; fontes afirmam que demitidos receberiam 60 dias de indenização

Paula Alves
Por

A confusão entre Elon Musk, novo chefão do Twitter, e os funcionários da rede social parece que ainda está longe de acabar. Após demitir toda a diretoria da empresa, fontes próximas alegam que o bilionário pretende cortar nada menos do que 3.700 empregados da plataforma – algo em torno da metade do seu atual quadro de funcionários.

Elon Musk
Elon Musk (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Divulgada pela Bloomberg, as informações foram concedidas por pessoas “com conhecimento do assunto”, mas que preferiram se manter no anonimato.

Segundo elas, os cortes dos trabalhadores já começariam nesta sexta-feira (4) e seriam uma tentativa de Musk de reduzir custos da rede social, após o empresário tê-la comprado por US$ 44 bilhões.

Vale lembrar que a ameaça de demissões que paira sobre o Twitter não vem de agora, tendo começo antes mesmo da compra da rede social ter sido finalizada.

Depois de uma verdadeira saga de negociações, em outubro, o Washington Post divulgou que Elon Musk pretendia demitir nada menos do que 75% dos funcionários da rede do passarinho.

A informação foi posteriormente desmentida, mas havia a desconfiança de que fossem mantidos ao menos os planos originais da empresa de cortar 25% de seus funcionários.

App do Twitter
App do Twitter (Imagem: Souvik Banerjee/ Unplash)

Quando assumiu a companhia, Musk já chegou com impacto, demitindo alguns dos principais nomes de liderança da empresa, como o ex-CEO, Parag Agrawal, o diretor-chefe de finanças, Ned Segal, e a executiva de assuntos políticos e legais, Vijaya Gadde.

Segundo fontes próximas, eles e outros grandes executivos despedidos teriam, juntos, nada menos do que US$ 100 milhões a receber. Havia, porém, grandes chances do assunto ir para nos tribunais, já que Musk não estaria disposto a pagar o valor e, por isso, os teria mandado embora sob a alegação de justa causa.

Musk deve acabar com trabalho remoto

Além das possíveis novas demissões de sexta-feira (4), Musk também deseja mudar a forma de trabalho dos funcionários que permanecerem no Twitter.

As mesmas fontes ouvidas pela Bloomberg alegaram que o magnata pretende reverter a política de trabalho atual da empresa, que permite que seus funcionários trabalhem remotamente.

Ainda que algumas exceções possam ser feitas, a ideia do CEO é que todos passem agora a trabalhar in loco, resolvendo as questões sobre a rede social diretamente no escritório do Twitter.

Como ativar as gorjetas no Twitter [Tip Jar] / Photo by Alexander Shatov on Unsplash
Ícone do Twitter (Imagem: Photo by Alexander Shatov on Unsplash)

Ainda que vejam o cenário de demissões do Twitter como incerto – inclusive com o número de demitidos podendo ser alterado –, as fontes da reportagem informaram haver uma equipe de assessores trabalhando ao lado de Musk para avaliar os melhores cenários de cortes e de outras mudanças na política de trabalho da empresa.

Relacionados

Relacionados