Meta pune funcionários que lucravam com recuperações de conta do Facebook e Instagram

Mais de vinte funcionários da empresa teriam aceitado suborno ou abusado de uma ferramenta interna que ajudava na recuperação das contas

Paula Alves
Por

Parece que a Meta andou tendo sérios problemas internos. De acordo com uma reportagem do Wall Street Journal, a companhia descobriu durante uma investigação que mais de vinte de seus funcionários faziam parte de um “mercado negro” de recuperação e invasão de contas. Infrações aconteciam usando uma ferramenta interna da plataforma e favoreciam desde usuários legítimos até hackers.

Meta (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)
Meta (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Após a descoberta, a Meta teria demitido ou disciplinado os funcionarários que estavam envolvidos na operação. Alguns deles, ouvidos pela reportagem, negaram ou disseram ter sido induzidos a cometer alguma fraude.

O esquema teria acontecido ao longo de 2021, quando os responsáveis favoreceram e, em muitos casos, aceitaram subornos generosos para essas invasões.

O esquema acontecia por meio de uma ferramenta interna da Meta chamada de “Oops” ou “Online Operations”. O dispositivo, criado para uso interno e caso especiais envolvendo recuperações de conta do Instagram ou Facebook, acabou sendo usado de forma mal-intencionada por alguns empregados, especialmente por prestadores de serviços terceirizados.

Para se ter ideia, o mercado negro criado em torno do “Oops” envolvia até mesmo outras empresas, que contavam com conexões na Meta. As companhias ofereciam um esquema paralelo de recuperação de conta, que prometia “dar um jeitinho na situação” de criadores de conteúdos dispostos a pagar uma quantia às entidades.

Aplicativo Instagram. (Imagem: Claudio Schwarz/Unsplash)
App do Instagram (Imagem: Claudio Schwarz/Unsplash)

Em conversa com o Wall Street Journal, o diretor de Comunicação da Meta, Andy Stone, reafirmou que as pessoas não devem pagar por serviços de recuperação de contas da Meta (Instagram, WhatsApp, Facebook, etc), já que eles violam os termos oficias do conglomerado.

“Também atualizamos regularmente nossas medidas de segurança para lidar com esse tipo de atividade e continuaremos tomando as medidas apropriadas contra os envolvidos nesses tipos de esquemas”, disse o porta-voz da empresa.

Meta anunciou serviço de atendimento ao cliente

Em agosto, a Meta anunciou estar trabalhando em um serviço de atendimento para clientes do Instagram e Facebook. Algo que não existia na rede desde sua fundação.

Ainda em fase de testes, a ferramenta tem como intuito ajudar e dar suporte aos usuários das redes sociais que tiveram alguma complicação ou perderam suas contas das plataformas.

No atendimento, os usuários terão respostas mais rápidas sobre o porquê sua conta ou um determinado conteúdo foi removido, além de contarem com uma ajuda interna para recuperar uma conta invadida.

Facebook no desktop (Imagem: Austin Distel/Unsplash)
Facebook no desktop (Imagem: Austin Distel/Unsplash)

Surgido a partir de feedbacks do Comitê de Supervisão – órgão independente que ajuda nas decisões tomadas pela empresa – o SAC da Meta é, na verdade, uma medida já muito tempo desejada pelo público.

Com um histórico complicado de soluções automatizadas, que muitas vezes deixavam os clientes na mão, a Meta parece finalmente estar olhando com mais atenção para a relação com seus usuários.

Com informações: The Wall Streer Journal e The Verge

Relacionados

Relacionados