Projeto quer ampliar reciclagem de lixo eletrônico em São Paulo

Brasil é quinto maior produtor de lixo eletrônico no mundo, mas recicla apenas 3% do que descarta

Felipe Freitas
Por

A associação de cooperativas Rede Sul e a GM&C, empresa de logística, lançaram o projeto e-Waste para a cidade de São Paulo. O projeto, que visa conscientizar a reciclagem de eletrônicos, foi criado na região sul do país e agora estende a participação para cooperativas da capital paulista. 

Reciclagem de lixo eletrônico na GM&C (Imagem: Divulgação)
Reciclagem de lixo eletrônico na GM&C (Imagem: Divulgação)

As cooperativas interessadas em integrar o projeto podem realizar o cadastro no projeto através entrando em contato com a Rede Sul. Uma das missões do e-Waste é “difundir a importância da coleta de lixo eletrônico entre as cooperativas de reciclagem da capital paulista“. O Brasil é o quinto país que mais produz lixos eletrônicos no mundo. 

Brasil recicla menos de 3% do lixo eletrônico

O dado sobre a produção de lixo eletrônico no país mostra um problema quando colocado ao lado do quanto de lixo desse tipo é reciclado: menos de 3% é reciclado. A pesquisa “The Global E-waste Monitor 2020”, realizada pela Universidade das Nações Unidas, aponta que, em 2019, o Brasil descartou mais de 2 milhões de toneladas — apenas 60.000 toneladas foram recicladas.

No mundo, mais de 53 milhões de toneladas de lixo eletrônico são descartadas. Além da falta de reciclagem adequada, há também a desinformação e falta de pontos de coleta nas cidades. Entretanto, não basta ter um ponto de coleta: é necessário que o lixo eletrônico seja reciclado.

“A reciclagem dos resíduos eletroeletrônicos ainda gera muitas dúvidas. A população não sabe como fazer o descarte de forma adequada e, por sua vez, a maioria das cooperativas não está capacitada para o correto manuseio deste tipo de resíduo. E é exatamente esse o grande desafio do projeto e-Waste”, afirma Henrique Mendes, coordenador de relações institucionais da GM&C, empresa envolvida no projeto e-Waste da Rede Sul.

Reciclagem de lixo eletrônico na GM&C (Imagem: Divulgação)
Reciclagem de lixo eletrônico na GM&C (Imagem: Divulgação)

Mendes explica ainda que é necessária uma tarefa conjunta entre os setores público e privado para dar ao tema a atenção merecida — ainda mais que o assunto também trata sobre preservação do meio ambiente e possível escassez dos recursos naturais. Metais de alto valor, como ouro, platina e cobre, podem ser recuperados através da reciclagem de eletrônicos. 

Algumas cidades e empresas, como a Samsung, já realizam a reciclagem de lixo eletrônico — mas essas estruturas podem não ser o suficiente para lidar com a capacidade de grandes centros. Para atender essa demanda, a capacitação de cooperativas de reciclagem é importante para aumentar a quantidade de lixo eletrônico reciclado no Brasil. 

Pontos de coletas em municípios

Nas grandes cidades, um dos pontos de coleta de lixo eletrônico pode estar nas lojas Samsung. As lojas da fabricante contam (de acordo com o site da empresa) com ponto de coleta de smartphones e outros dispositivos mobile — equipamentos maiores, como notebooks, podem ser entregues em assistências técnicas autorizadas.

Independente do tamanho da sua cidade, você pode entrar em contato com os canais de comunicação do município ou da empresa responsável pela gestão do lixo da sua cidade para saber em quais localidades estão os pontos de coleta. Busque também se informar se há cooperativas com capacidade de reciclagem de lixo eletrônico.

Relacionados

Relacionados