Kali Linux 2022.4: distribuição “hacker” reforça recursos e roda até no Azure

Voltada a profissionais de segurança, distribuição Kali Linux 2022.4 chega com Gnome 43 ou KDE Plasma 5.26, e melhora suporte a várias plataformas

Emerson Alecrim
Por

Boas novas para profissionais e entusiastas de segurança digital: o Kali Linux 2022.4 foi lançado oficialmente nesta semana. Direcionada a “hackers do bem”, a nova versão chega com interface melhorada, integração com o QEMU para tarefas de virtualização, além de retorno ao Microsoft Azure.

Kali Linux 2022.4 com Gnome 43 (imagem: divulgação/Offensive Security)
Kali Linux 2022.4 com Gnome 43 (imagem: divulgação/Offensive Security)

Como a numeração no nome indica, o Kali Linux 2022.4 é a quarta versão da distribuição lançada neste ano. Feito na terça-feira (6), o anúncio oficial coincide com a semana da Black Hat europeia, conferência focada em segurança da informação.

Está aí a razão para o Kali Linux não ser tão popular quanto o Ubuntu ou o Fedora. A distribuição traz um amplo conjunto de ferramentas para profissionais de segurança. Como essa área está em constante evolução, as atualizações regulares do projeto servem para refinar o leque de recursos oferecidos.

Funciona em celulares e tablets

Uma novidade bastante interessante do Kali Linux 2022.4 é o NetHunter Pro. Trata-se de uma versão da distribuição otimizada para uso em dispositivos móveis muito específicos.

Com ambiente de desktop Phosh, o recurso está disponível na forma de imagens para o PinePhone e o PinePhone Pro (ambos são celulares para Linux). Versões com Plasma Mobile são esperadas para atualizações futuras. Que conste que o NetHunter Pro pode funcionar em dual boot com o sistema operacional nativo do aparelho.

Há suporte a determinados celulares e tablets Android, mas por meio do NetHunter “normal”. No Kali Linux 2022.4, a ferramenta foi atualizada para trazer compatibilidade melhorada com Bluetooth e corrigir bugs relacionados aos Androids 11 e 12. A lista de aparelhos compatíveis é esta.

Kali NetHunter Pro no PinePhone Pro (imagens: Twitter/Daniruiz)
Kali NetHunter Pro no PinePhone Pro (imagens: Twitter/Daniruiz)

Outros destaques do Kali Linux 2022.4

É visível o esforço da Offensive Security, empresa por trás da distribuição, de tornar o Kali Linux 2022.4 tão disponível quanto possível. Além das ferramentas NetHunter, a nova versão tem uma imagem pré-pronta para o QEMU, uma poderosa solução de código aberto para virtualização.

Outro destaque é o retorno da distribuição ao Microsoft Azure. Nem todas as ferramentas do Kali Linux 2022.4 estão disponíveis nessa opção. Apesar disso, há recursos suficientes ali para a execução, nas nuvens, de testes de penetração.

Sobre as ferramentas nativas, há seis novas delas. Uma é a peass-ng, que permite o escalonamento de privilégios para ambientes Windows, Linux/Unix e macOS. Outra é o rizin-cutter, uma ferramenta para engenharia reversa.

Não é porque o Kali Linux é focado em segurança que o visual do sistema precisa ser deixado de lado. Para quem faz questão de interface gráfica, a versão 2022.4 vem com o Gnome 43, que oferece um ambiente de desktop agradável e funcional.

Como ambiente alternativo está o KDE Plasma 5.26, que se destaca por trazer suporte a múltiplos widgets.

Todas as novidades estão no anúncio oficial do Kali Linux 2022.4.

Também está mais fácil instalar ou atualizar o Kali no Raspberry Pi (imagem: divulgação/Offensive Security)
Também está mais fácil instalar ou atualizar o Kali no Raspberry Pi (imagem: divulgação/Offensive Security)

Onde baixar o Kali Linux 2022.4?

O caminho mais fácil é acessando a página de downloads do Kali Linux. Note que, ali, há links da distribuição para diversas plataformas e aplicações. Entre elas estão: equipamentos com chip Arm (incluindo a linha Raspberry Pi), máquinas virtuais, live boot (para execução via pendrive) e, claro, imagens para instalação em PCs.

Também há versões para o Windows Subsystem for Linux (WSL). Aqui, a Offensive Security recomenda o uso do WSL 2 para uma experiência melhorada, que inclui suporte a aplicações gráficas.

Para quem usa uma versão anterior da distribuição, é possível instalar a nova via comando “sudo apt update”. As instruções de atualização estão aqui.

Relacionados

Relacionados