Elon Musk vende US$ 3,5 bilhões em ações da Tesla e preocupa investidores

Acionistas estão em dúvida sobre qual é o principal foco do bilionário no momento; Musk vendeu quase US$ 40 bilhões em ações desde 2021

Felipe Freitas
Por

Nesta semana, entre segunda e quarta-feira, Elon Musk vendeu US$ 3,5 bilhões em ações da Tesla. A movimentação realizada pelo ex-homem mais rico do mundo causou preocupação nos investidores. Ou melhor, apenas aumentou o temor desse grupo.

Elon Musk
Elon Musk (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Desde que Musk comprou o Twitter, os investidores da Tesla estão preocupados com o real foco do CEO da fabricante de carros elétricos. Os preços das ações caíram nos primeiros dias da nova aquisição do “Chief Twit”. No mês passado, Musk vendeu 19,5 milhões de ações por quase US$ 4 bilhões.

Vendas reforçam mudança de foco e problemas no Twitter

Elon Musk afirmou que os acionistas da Tesla se beneficiaram da compra do Twitter (o “como” ele não explicou), mas os investidores não estão confiando muito nessa ideia. Para esse grupo, o bilionário, CEO e acionista majoritário da fabricante, está muito mais focado em sua nova empreitada — tal qual uma criança que ganha o seu brinquedo favorito. Claro, não vamos ignorar que ele precisa fazer o seu novo

Musk levou engenheiros de software da Tesla para fazer revisar códigos do Twitter nos primeiros dias da compra. Na sua conta na rede social, o bilionário praticamente só fala do Twitter, atuando como uma vitrine para as novidades da SpaceX e da Tesla ao retuitar o que as empresas fazem.

Através de seu perfil na plataforma, Elon Musk informa os próximos passos da rede social, as ideias, pede opiniões e ataca a antiga gestão. Uma breve visualização no Twitter de Musk explica a preocupação dos investidores sobre o foco do bilionário. E claro, as vendas das ações reforçam essa ideia.

Musk não divulgou os motivos das vendas dos papeis da Tesla (e provavelmente não falará nada), porém a principal hipótese é… o Twitter.  Não vamos ignorar que ele precisa fazer o seu novo investimento render, esse é o principal ponto de qualquer empresário ao comprar um negócio.

Tesla Model S (Imagem: Divulgação/Tesla)
Foco de Elon Musk é amplo ou vai para outro lugar? (Imagem: Divulgação/Tesla)

Os empréstimos bancários de US$ 13 bilhões para a compra estão vinculados ao Twitter, não ao Musk. Porém, com juros bilionários e não lucrando, o Chief Twit terá que pagar as contas o próprio bolso (ou pode pedir falência). O bolso de Elon Musk se chama Tesla, então é só vender umas ações ali e pronto.

O caso do CEO da Tesla lembra a situação de David Neeleman, fundador da Azul, no início da pandemia de Covid-19. O americano teve que vender uma parte de suas ações para pagar um empréstimo bancário — a diferença é que a sua empresa divulgou o motivo em um comunicado, aliviando os acionistas e evitando que a ação fosse uma desistência do setor aéreo.

Desde abril, quando iniciou o processo de compra da rede social, revelando ser acionista majoritário do Twitter, o preço das ações da Tesla caiu. A fabricante iniciou o período de compra com a cotação na casa de US$ 380. Hoje (15), o valor chegou a bater US$ 155,31 — uma queda de 57% desde abril.

Outra hipótese para a venda das ações é que Musk está se protegendo de uma queda nos valores. As vendas iniciaram no mesmo dia em que o Federal Reserve, banco central americano, aumentou as taxas de juros em 0,5%. Quando isso acontece, há uma tendência de queda nas cotações.

No fim, todos esses fatores acabam valendo. Contudo, a preocupação latente dos investidores da Tesla, somado ao histórico de Musk, vai pesar a balança mais para a interpretação de que o foco integral do CEO é o Twitter.

Falcon 9, da SpaceX, em lançamento de satélites Starlink (Imagem: divulgação/SpaceX)
Na imagem, foguete da SpaceX realiza ação inversa ao das ações da Tesla (Imagem: divulgação/SpaceX)

Musk vendeu quase US$ 40 bilhões em ações desde 2021

Desde novembro de 2021, Elon Musk vendeu quase US$ 40 bilhões em ações da Tesla (com mais US$ 4 bilhões ele teria comprado o Twitter à vista). Além do Twitter e da fabricante de carros, o bilionário também é dono da The Boring Company, Neuralink e SpaceX.

Com tantos investimentos, os investidores da Tesla também podem ficar decepcionados com o fato de que Musk optou por comprar uma nova empresa. Ao invés disso, faria mais sentido que ele focasse nos seus negócios mais sólidos.

Por exemplo, Musk poderia ter surfado na onda da missão da NASA Artemis I, primeiro passo para o retorno da humanidade à lua, e usado os US$ 27 bilhões que tirou do próprio bolso na compra do Twitter para desenvolver a tecnologia de foguetes lunares — ou marcianos.

Com informações: TechCrunch e The Verge

Relacionados

Relacionados