Google promete apoio a RISC-V para se distanciar da Arm

Empresa quer entregar suporte para a arquitetura open-source de CPU em dispositivos Android, incluindo laptops

Felipe Freitas
Por

Durante a RISC-V Summit, Lars Bergstrom, director de engenharia do Android, anunciou que o Google quer transformar a arquitetura RISC-V em uma plataforma de “primeiro nível” para o seu sistema operacional. A empresa pretende aumentar o suporte e compatibilidade entre o Android e os CPUs baseados em RISC-V, abrindo a oportunidade de que empresas se distanciem da Arm e Intel.

Android 13
Android 13 (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Ao abrir a sua apresentação no evento, Bergstrom já adiantou que não anunciaria produtos otimizados para o RISC-V (leia como “risk five”). Contudo, o cenário pode mudar em breve com essa prioridade que o Google dará para a arquitetura open-source de CPUs. Só que tem muito trabalho para ser feito.

Suporte para RISC-V diminui dependência da arquitetura Arm

Ao buscar melhorar o suporte do Android para a arquitetura RISC-V, o Google pode levar as fabricantes de eletrônicos a diminuir a dependência dos chips baseados em ARMv8. Principalmente as fabricantes chinesas de smartphones e notebooks.

Com os embargos comerciais dos Estados Unidos contra a China, algumas marcas de eletrônicos do país estão migrando para a plataforma RISC-V. Mas claro, elas não serão as únicas beneficiadas com a maior integração entre Android e a arquitetura open-source.

As principais arquiteturas de CPU do mercado, ARMv8 e Intel x86, são licenciadas pelas fabricantes. Entre as empresas que fabricam processadores baseados na arquitetura da Arm estão Qualcomm e MediaTek, principais fornecedoras de SoCs para smartphones.

Na RISC-V Summite, Bergstrom afirma que o Google dará ao RISC-V a mesma atenção que recebe a ARMv8, arquitetura de CPUs mais popular em celulares. Veja a apresentação.

YouTube video

Como o Google também utiliza a tecnologia da Arm no seu chip Tensor, que equipa os smartphones Pixel desde a sexta geração, surge uma pergunta: a empresa abandonará a ARMv8 no Tensor para usar a arquitetura RISC-V?

Android operando em RISC-V só estará disponível na versão 64-bit. Enquanto ainda levará um bom tempo para essa otimização entre SO e chip sair, o Google pretende lançar as primeiras ferramentas de emulação para desenvolvedores neste ano.

A longo prazo, o Android será um sistema operacional menos dependente de uma única arquitetura, podendo até ampliar a presença em notebooks.

Com informações: Ars Techinica e Android Police

Relacionados

Relacionados