HBO Max garante que não aumentará preço no Brasil

Valor mensal de assinatura do streaming teve um aumento nos EUA, mas mercado latino-americano não será afetado pelo reajuste

Paula Alves
Por

Na última semana, a Warner Bros. Discovery anunciou um aumento na mensalidade da HBO Max, nos EUA, levando a muitos questionamentos se o mesmo aconteceria por aqui. Embora muitos rumores tenham sido levantados e a tendência do mercado aponte para o outro lado, não há com o que se preocupar: a assessoria da plataforma confirmou ao Tecnoblog que o reajuste não se aplicará ao Brasil.

Melhor streaming de 2021 - Imagem de divulgação HBO Max
HBO Max (Imagem: Divulgação/ HBO Max)

Mesmo nos Estados Unidos, essa é a primeira vez, desde seu lançamento, que a HBO Max aumenta o valor de sua assinatura.

Anunciado na última quinta-feira (12) o reajuste foi imediato e fez com que o valor mensal do serviço pulasse de US$ 14,99 para US$ 15,99 – um aumento de quase 7%.

Além do Brasil, todos os outros países da América Latina também ficaram de fora da mudança, que afetará exclusivamente o mercado estadunidense. Vale lembrar, no entanto, que, além destes locais, a HBO Max também está presente no Caribe e em alguns países da Europa.

HBO Max segue na contramão de outras plataformas

Lançada em junho de 2021 no Brasil, a HBO Max permanece com o mesmo valor de assinatura desde quando desembarcou no país. Um fato curioso, que se sobressai em um mercado em que tantos outros serviços vêm fazendo reajustes nas mensalidades.

A Netflix, por exemplo, mexeu no valor de sua mensalidade ainda em 2021, quando anunciou um aumento de até 22% em cada um de seus planos.

Embora não tenha aumentado mais o preço depois disso, a plataforma já avisou que, em breve, pretende taxar contas compartilhadas usadas por casas diferentes. Uma decisão que, com certeza, pesará no bolso de muitos assinantes.

HBO Max (Imagem: Divulgação)
HBO Max (Imagem: Divulgação)

Ainda na esteira de mudanças, no ano seguinte, foi a vez do Amazon Prime Video e do Apple TV+ aumentarem em 50,5% o valor de sua assinatura mensal – que pulou de R$ 9,90 para R$ 14,90.

E, ainda que não haja uma confirmação de seu lançamento no Brasil, já é sabido também que, em 2023, o Disney+ pretende expandir globalmente as novidades que implementou em sua assinatura nos EUA.

Uma mudança que, se aplicada por aqui, deve também ter um impacto razoável no segmento. Afinal, segundo dados do JustWatch relativos ao quarto trimestre de 2022, a plataforma ocupa hoje 15% da fatia do mercado de streamings brasileiro.

Relacionados

Relacionados