Leilão do Twitter com pássaro azul gigante rendeu até US$ 100 mil por item

Twitter vendeu peças de escritório, como computadores, móveis e até uma estátua e um painel com neon do pássaro azul para garantir uma renda extra

Bruno Gall De Blasi
Por

Atrás de um dinheirinho para pagar boletos, o Twitter fez um leilão com itens de escritório nos últimos dias. Ao longo do evento, a rede social angariou de US$ 150 até US$ 100 mil por objeto vendido. A comercialização do mobiliário e do maquinário aconteceu pouco antes do prazo de pagamento de um empréstimo ser encerrado.

Twitter
Twitter (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Os produtos estavam disponíveis para lances no Heritage Global Partners. Segundo a plataforma, a recepção de lances começou em 17 de janeiro e foi encerrada no dia seguinte. O leilão aconteceu em São Francisco (CA), onde fica a sede da companhia.

A lista de lotes é bem extensa, com mais de 600 itens disponíveis, e traz desde equipamentos para cozinha, como cafeteiras, até equipamentos eletrônicos, como televisões, computadores, equipamentos para conferências e afins.

Ou seja, peças que estavam nos escritórios da rede social. E algumas coisas bem específicas, como a estátua de um pássaro azul enorme, perfeita para quem é fã do Twitter.

A Heritage Global Partners não chegou a divulgar o valor dos lances finais. Todavia, o Wall Street Journal apontou que só um painel com neon do pássaro azul rendeu cerca de US$ 100 mil aos cofres da empresa. Ou seja, R$ 522,2 mil em conversão direta.

Uma hora e meia antes do encerramento do leilão, também teve um lance de US$ 12 mil a uma escultura de planta no formato de uma arroba (@).

O produto mais barato saiu por US$ 150.

Twitter leiloou estátua de pássaro azul (Imagem: Reprodução/Heritage Global Partners)
Twitter leiloou estátua de pássaro azul (Imagem: Reprodução/Heritage Global Partners)

Twitter corta custos em meio à dívidas

O Twitter não chegou a informar o motivo do leilão. Todavia, enquanto a empresa deve US$ 12,5 bilhões, uma série de ações para cortar custos foram promovidas desde que Elon Musk assumiu o cargo de CEO, no fim de outubro de 2022.

Entre elas, está um desligamento em massa de metade da empresa no mundo todo. E que também deu confusão – afinal, estamos falando de Elon Musk.

Enquanto isso, o Twitter precisa correr. De acordo com a Bloomberg, a empresa tem até 27 de janeiro para pagar US$ 300 milhões em empréstimos.

Enquanto isso, o Twitter amarga com a perda de anunciantes e outros problemas financeiros, como a falta de pagamento de alugueis e a fornecedores.

A empresa até tomou algumas medidas desesperadas, como oferecer a assinatura do Blue por um ano com desconto.

Com informações: Ars Technica

Relacionados

Relacionados