Demissão em massa no Google atinge sistema Fuchsia e quase destrói Area 120

Demissão de 12 mil funcionários do Google reduziu equipe do sistema operacional Fuchsia; situação é mais grave na Area 120, de projetos experimentais

Emerson Alecrim
Por

Não é incomum que, após demissões em massa, projetos em andamento na empresa sejam afetados. É o caso do Google. Depois que a Alphabet, dona da companhia, anunciou 12 mil demissões, veio à tona a informação de que o sistema operacional Fuchsia teve a sua equipe reduzida. A Area 120, que cuida de projetos experimentais, também.

Google Nest Hub (imagem: divulgação/Google)
Google Nest Hub (imagem: divulgação/Google)

Ao anunciar as 12 mil demissões, Sundar Pichai, CEO do Google e da Alphabet, explicou que o corte passará por toda a companhia, afetando diferentes níveis de cargos. Não surpreende que a divisão responsável pelo Fuchsia tenha sido atingida, portanto.

De acordo com o New York Times, a equipe do sistema operacional contava com cerca de 400 pessoas, mas pelo menos 16% delas foram demitidas. Isso significa que, a partir de agora, a divisão contará com cerca de 340 funcionários.

Não parece ser um corte tão drástico assim. Mas esse número ainda pode diminuir. Ainda segundo o New York Times, a proporção de 16% diz respeito apenas aos desligamentos nos Estados Unidos. Demissões em outros países serão anunciadas progressivamente, e isso deve reduzir ainda mais o time do sistema operacional.

O desenvolvimento do Fuchsia vai ser prejudicado?

O impacto das demissões sobre o Fuchsia ainda não pode ser mensurado. No entanto, são grandes as chances de que o projeto sofra consequências de alguma forma, como um atraso em seu cronograma de desenvolvimento ou a eliminação de determinados recursos.

Pelo menos o risco de o Fuchsia ser cancelado parece ser pequeno. O projeto surgiu como um possível sucessor do ChromeOS e do Android (intenção nunca confirmada pelo Google). Porém, nos últimos meses, o sistema foi direcionado a dispositivos inteligentes do Google, a exemplo do Nest Hub.

Além disso, o Google confirmou, sem querer, que um dispositivo inteiramente baseado no Fuchsia está a caminho. O produto pode ser anunciado ainda em 2023.

A situação é mais grave na Area 120

A chamada Area 120 é uma espécie de incubadora interna do Google. Cabe a ela promover o desenvolvimento de projetos experimentais, que podem se transformar em produtos novos ou recursos para serviços já existentes. Ou não: a divisão foi fortemente afetada pelas demissões, informa o TechCrunch.

GameSnacks (Imagem: Divulgação/Google)
GameSnacks (imagem: divulgação/Google)

O número de demissões ali não foi revelado. Entretanto, a Area 120 havia passado por um grande corte de funcionários em setembro de 2022. Com a redução mais recente, a divisão quase desapareceu. Apenas três projetos foram mantidos.

Embora o Google não revele a quantidade de funcionários da Area 120, fala-se que, após o corte de setembro, a divisão ficou com menos de 100 funcionários. Para apenas três projetos “sobreviverem”, esse número deve ser muito menor atualmente.

É uma pena. A Area 120 deu forma a várias ideias interessantes, como o GameSnacks, plataforma de jogos baseados em HTML5. Outro exemplo é o serviço de anúncios conversacionais AdLingo.

Relacionados

Relacionados