Twitter passa a responder e-mails de jornalistas com emoji de cocô 💩

Mudança foi comunicada por Elon Musk em seu Twitter; Tesla também não tem equipe de relações públicas, e quem responde é o próprio executivo, usando a rede social

Giovanni Santa Rosa
Por

Elon Musk não é um cara que toca seus negócios como outros executivos. Ele tomou mais uma decisão polêmica no comando do Twitter: agora, e-mails enviados para o endereço da assessoria de imprensa recebem uma resposta automática. O conteúdo da mensagem é bem simples: “💩”.

Elon Musk sentado com braços cruzados olhando para o lado esquerdo
Elon Musk (Imagem: Kim Shiflett / NASA e Vitor Pádua / Tecnoblog)

A mudança foi anunciada pelo próprio Musk no Twitter no domingo (19), sem maiores explicações. “[email protected] agora responde automaticamente com 💩”, escreveu o bilionário.

Em outra de suas empresas, a Tesla, Musk demitiu a equipe de relações públicas em 2020. Para se comunicar com a imprensa, ele simplesmente responde questões sobre a companhia no Twitter, de uma maneira aparentemente aleatória.

Musk se justifica, dizendo que outras empresas gastam dinheiro com marketing e propaganda “para manipular a opinião pública”, enquanto a Tesla foca nos produtos.

Elon Musk já usou emoji em resposta a CEO do Twitter

Não é a primeira vez que o empresário usa essa figurinha para se comunicar com desafetos.

Quando a compra do Twitter ainda estava sendo decidida nos tribunais e Musk acusava a rede social de ter mais bots do que admitia publicamente, ele respondeu um tweet do então CEO da empresa, Parag Agrawal, com o mesmo emoji de fezes sorridentes.

Jornalistas foram suspensos do Twitter

Desde que assumiu o comando do Twitter, Musk vem se chocando com a imprensa. Em dezembro de 2022, ele suspendeu contas de vários jornalistas, de veículos como The Washington Post, Business Insider e outros.

Eles vinham cobrindo a rede social após a conta @ElonJet, que seguia o jatinho do executivo usando informações públicas, ser banida.

Segundo o dono, a suspensão foi feita porque os jornalistas comentaram que a @ElonJet continuava operando em outras plataformas, como o Mastodon, concorrente do Twitter.

Musk havia prometido justamente o contrário: liberdade de expressão para todo mundo, até para quem compartilhava informações sobre sua localização.

Ele, porém, passou a considerar que as informações compartilhadas eram “basicamente coordenadas para [tentativas de] assassinato”.

No fim das contas, o bilionário realizou uma enquete para decidir se os jornalistas poderiam ser liberados de novo ou não. O “sim” venceu.

Com informações: NPR, Mashable.

Giovanni Santa Rosa

Repórter

Giovanni Santa Rosa é formado em jornalismo pela ECA-USP e cobre ciência e tecnologia desde 2012. Foi editor-assistente do Gizmodo Brasil e escreveu para o UOL Tilt e para o Jornal da USP. Cobriu o Snapdragon Tech Summit, em Maui (EUA), o Fórum Internacional de Software Livre, em Porto Alegre (RS), e a Campus Party, em São Paulo (SP). Atualmente, é autor no Tecnoblog.

Relacionados

Relacionados