Adeus, ICQ: precursor do WhatsApp será desativado daqui a um mês

Em 2022, ICQ tinha 11 milhões de usuários contra 2 bilhões do WhatsApp. Grupo russo VK recomenda a adoção de outras ferramentas digitais.

Felipe Freitas
Por
Marca do ICQ
ICQ chegará ao fim no dia 26 de junho (Imagem: Reprodução/ICQ)

O outrora popular programa de mensagens ICQ será encerrado daqui a um mês. A empresa por trás da plataforma informou que o serviço deixará de funcionar em 26 de junho, de acordo com um recado publicado no site oficial na última sexta-feira (dia 24/05).

Na mesma página, o serviço de mensagens recomenda que os usuários adotem as plataformas do VK, conglomerado digital que fica baseado na Rússia e comprou o ICQ da AOL em 2010.

O pioneiro nos aplicativos de mensagens foi lançado em 1996, há 28 anos, por uma empresa israelense. Na época, o termo “aplicativo” nem sequer era popular: ele era chamado de “software” ou “programa”, termos dos primeiros anos de internet.

ICQ teve revival no mobile e suspensão no Brasil

ICQ teve integração com o Facebook, permitindo que você conversasse com amigos na rede social (Imagem: Divulgação/ICQ)
ICQ teve integração com o Facebook, permitindo que você conversasse com amigos na rede social (Imagem: Divulgação/ICQ)

Ainda que esquecido pelos brasileiros, o ICQ teve seu momento de “renascimento” na década passada, com a popularização dos smartphones, mas foi incapaz de recuperar a fama dos anos 1990. A VK criou apps do ICQ para Android e iPhone, aproveitando a popularidade que o serviço ainda tinha na Rússia.

O ICQ tinha possuía apenas 11 milhões de usuários mensais, segundo dados de 2022. A título de comparação, a Meta revelou que o WhatsApp app contava com 2 bilhões de usuários mensais em 2022.

A decadência do ICQ começou há anos, quando perdeu espaço para o agora desativado MSN Messenger e para o ainda presente Skype.

Depois, com redes sociais como o Facebook, que contavam com publicações de amigos e função de mensagens em tempo real, os programas de mensagem ficaram ainda menos interessantes. Para piorar a vida do ICQ, o WhatsApp e o iMessage juntaram o número de celular com a funcionalidade de mandar mensagens sem custo.

Em 2023, uma reportagem do site Núcleo revelou que a plataforma era usada no Brasil para troca de pornografia infantil. Meses depois, após uma investigação da PF, a Justiça brasileira pediu a suspensão do ICQ no país, alegando que a empresa não estava cooperando com os investigadores.

Com informações: PCMag e TechSpot

Relacionados