Anatel libera equipamentos da Starlink, internet via satélite de Elon Musk

Equipamento da Starlink que pode transmitir até 4 Gb/s recebe certificação da Anatel; empresa venderá internet via satélite

Lucas Braga Everton Favretto
Por e
• Atualizado há 6 meses
Antena para base terrestre da Starlink é homologada na Anatel (Imagem: darkpenguin22/Reddit)
Antena para base terrestre da Starlink é homologada na Anatel (Imagem: darkpenguin22/Reddit)

A Starlink ainda não chegou ao Brasil, mas a companhia de internet da SpaceX se prepara para entrar no mercado nacional. A Anatel homologou duas antenas de satélite que ficarão instaladas nas estações terrestres do provedor, que deve chegar ao país em fase de testes até o final do ano.

 

A Anatel certificou duas versões da antena Gateway V3, com diferença apenas na frequência de operação. O equipamento foi classificado como transceptor para estação terrena, utilizado para aplicação de serviço de comunicação por satélite. A solicitação de homologação foi feita pela Starlink Brazil Serviços de Internet Ltda.

Certificação da antena Gateway V3, da Starlink (Imagem: Reprodução/Anatel)

No certificado, é possível descobrir que a antena opera na banda Ka e tem capacidade para transmissão com velocidades de até 4 Gb/s. O equipamento é fabricado pela SpaceX nos Estados Unidos e possui modem integrado.

Selo da Anatel na antena Starlink Gateway V3 (Imagem: Reprodução/Anatel)
Selo da Anatel na antena Starlink Gateway V3 (Imagem: Reprodução/Anatel)

A certificação do equipamento para a base terrestre é um dos primeiros passos para a chegada da Starlink no Brasil, mas a empresa ainda precisa pedir a homologação da antena que ficará instalada nas casas dos clientes de banda larga.

A Starlink também solicitou à Anatel o direito para explorar satélites estrangeiros no Brasil. Caso a autorização seja concedida, a empresa também precisa obter uma licença de Serviço de Comunicação Multimídia (SCM), exigida para todos os provedores de internet.

A companhia de Elon Musk afirma que terá cobertura de banda larga via satélite no Brasil até o final de 2021 e abriu um cadastro para interessados em participar da fase beta. Quem quiser se arriscar deverá pagar uma taxa de US$ 99 logo no registro, além de comprar o kit da antena e roteador que custa US$ 499.

A princípio, a SpaceX divulga que a banda larga Starlink deve atingir velocidades de 50 Mb/s a 150 Mb/s, com ping variando entre 20 ms a 40 ms e sem franquia de uso.

Receba mais sobre Starlink na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Lucas Braga

Lucas Braga

Repórter especializado em telecom

Lucas Braga é analista de sistemas que flerta seriamente com o jornalismo de tecnologia. Com mais de 10 anos de experiência na cobertura de telecomunicações, lida com assuntos que envolvem as principais operadoras do Brasil e entidades regulatórias. Seu gosto por viagens o tornou especialista em acumular milhas aéreas.

Everton Favretto

Everton Favretto

Assistente de Conteúdo

Everton Favretto é bacharel em Tecnologias Digitais pela UCS e caça homologações da Anatel para o Tecnoblog. Gosta de telefones (velhos e novos) e está sempre pronto para falar de aviões. Consegue identificar um modelo de 737 olhando para a fotografia dele e tem um Raspberry Pi Zero W na sacada só para rastrear as aeronaves por ADS-B.

Relacionados