Apple pode colocar IA no Safari para driblar propagandas

Web Eraser deve permitir apagar imagens, textos, anúncios e seções inteiras de um site com facilidade; novo Safari com IA deve chegar até o final do ano

Lucas Braga
Por
Safari no iOS (Imagem: Brett Jordan/Flickr)
Safari deve ganhar recursos de IA para bloqueio de anúncios (Imagem: Brett Jordan/Flickr)

Um dos principais rumores das próximas atualizações da Apple são os recursos de inteligência artificial, incluindo um novo módulo integrado no Safari. A nova versão do navegador para iPhone, Mac e iPad deve utilizar IA para permitir bloqueios mais avançados, incluindo publicidade online.

Um desses recursos é o Web Eraser — uma espécie de “borracha” para apagar determinados elementos de um site. Os usuários teriam a possibilidade de remover com facilidade imagens, textos, banners publicitários e até mesmo seções inteiras de uma página.

Uma das vantagens é que o Web Eraser conseguiria salvar as configurações do usuário e se aplicaria para futuras sessões da mesma página da web. Sendo assim, não seria necessário acionar o recurso a cada nova aba ou janela aberta de determinado site que você já acionou a ferramenta. Também é possível reverter as alterações a qualquer momento, caso queira.

Safari no iOS 15 (tmagem: Lucas Braga/Tecnoblog)
Safari no iPhone (tmagem: Lucas Braga/Tecnoblog)

Como apontado pelo AppleInsider, já existe uma ferramenta similar ao Web Eraser para ocultar publicidade. O recurso está disponível no 1Blocker, que dá ao usuário a opção de clicar em um anúncio para escondê-lo.

Com foco em privacidade, o Safari já tem um bloqueio nativo para rastreadores de conteúdo, com bloqueio de determinadas plataformas. Assinantes do iCloud+ também têm acesso ao recurso de Retransmissão Privada, uma espécie de VPN que dificulta a identificação do usuário. Nem sempre funciona bem, no entanto.

IA no novo Safari deve trazer mais recursos

O Web Eraser não deve ser o único recurso de inteligência artificial a ser incorporado no Safari. O navegador da Apple também deve ter uma função de busca inteligente, que permitiria resumir páginas.

O recurso utiliza o modelo de linguagem grande (LLM), já utilizado por ferramentas como o ChatGPT, Google Bard e Microsoft Copilot. Com a atualização, a Apple pode se equiparar a alguns navegadores concorrentes que possuem IA embarcada, como o Microsoft Edge, Opera e Arc.

O novo Safari com inteligência artificial deve chegar ao iOS, iPadOS e macOS até o final do ano. Mais detalhes sobre a atualização devem ser divulgados oficialmente na WWDC 24, evento para desenvolvedores que ocorre no dia 10 de junho. Antes disso, a Apple deve anunciar um novo iPad na próxima terça-feira, 7 de maio.

Relacionados