Desenvolvedores de Android terão streaming para testar apps em celulares reais

Google lança Android Device Streaming, que permite utilizar smartphones reais em datacenters para testes de aplicativos; lista inclui modelos da Samsung e Motorola

Lucas Braga
Por
• Atualizado há 3 semanas
Android
Ferramenta do Google permite que devs testem apps em smartphones reais via streaming (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Uma das maiores dificuldades no desenvolvimento de aplicativos para Android é a fase de testes: existem milhares de diferentes dispositivos, com diferentes versões do Android e tamanhos de tela. Para facilitar esse processo, o Google lançou o Android Device Streaming, que permite acessar smartphones reais e controlá-los de forma remota.

Considerando a quantidade de dispositivos Android existentes no mundo, o catálogo de smartphones disponíveis no Device Streaming é bem limitada, com pouco mais de 20 opções disponíveis. Na lista estão diversos Google Pixel — incluindo o relógio Pixel Watch —, além de modelos como Moto G20, Galaxy S23 Ultra, Galaxy S20 e Galaxy Note 9.

O catálogo de dispositivos deve se expandir no futuro, uma vez que o Google firmou uma parceria com Samsung, Xiaomi, Oppo e OnePlus para levar mais modelos ao Android Device Streaming.

Tela do Android Studio na seção de escolher o smartphone para testes no Device Streaming
Desenvolvedores podem escolher qual dispositivo utilizar direto do Android Studio (Imagem: Reprodução/Google)

A nova ferramenta está disponível para desenvolvedores que utilizam o Android Studio na versão Jellyfish ou mais recente. Trata-se de um serviço que está em versão beta e será gratuito (mas limitada) para quem utiliza o Firebase:

  • Quem utiliza o plano gratuito (Spark) tem direito a 120 minutos de testes por projeto e por mês; a partir de fevereiro de 2025, o período será reduzido a 30 minutos. Não é possível contratar tempo adicional.
  • O plano Blaze (pago) inclui a mesma quantidade de minutos do Spark, mas os desenvolvedores têm a opção de contratar mais tempo para os testes. Cada minuto adicional custa US$ 0,15.

O Google afirma que os desenvolvedores não irão pagar pelo tempo de configuração do dispositivo antes da conexão, nem pelo período em que o dispositivo gasta para restaurar as configurações de fábrica.

Google garante segurança nos testes em streaming

Uma das preocupações dos desenvolvedores é sobre a segurança dos testes via streaming, uma vez que os aparelhos são controlados remotamente e alguns lançamentos podem trazer informações que não podem se tornar públicas.

De acordo com o Google, o Android Studio estabelece uma conexão segura do ADB (Android Debug Bridge) com criptografia SSL. A empresa afirma que os smartphones ficam localizados em datacenters seguros.

Além disso, os smartphones são automaticamente apagados após a sessão de testes, impedindo que outros usuários do Device Streaming tenham acesso aos arquivos e aplicativos testados anteriormente.

Relacionados