Siri turbinada com IA deve chegar somente no segundo trimestre de 2025

Nova interface e integração com ChatGPT devem ser lançadas antes, ainda em 2024. Apple Intelligence vai funcionar só em inglês americano, inicialmente.

Giovanni Santa Rosa
Por
• Atualizado há 1 semana
Siri poderá conversar com ChatGPT e realizar tarefas em apps (Imagem: Reprodução / Apple)

A próxima grande atualização da assistente virtual Siri, da Apple, pode ficar para o segundo trimestre de 2025. Os recursos da Apple Intelligence, IA da marca, podem aparecer apenas no iOS 18.4, que seria liberado para desenvolvedores em janeiro e só chegaria ao público geral na primavera do Hemisfério Norte, no segundo trimestre do ano.

As informações são do jornalista Mark Gurman, da Bloomberg. Segundo as fontes consultadas pela publicação, alguns recursos devem chegar antes disso, como a nova interface e a integração com o ChatGPT. Mas as partes mais complexas de IA, como acessar conteúdo de apps a partir de comandos de linguagem natural, vão ficar para o ano que vem.

Vale lembrar que a Apple Intelligence terá outra limitação: ela só vai funcionar em inglês dos Estados Unidos. Portanto, quem quiser usar a IA da maçã em português terá que esperar ainda mais.

Apple é criticada por demora e restrições

A previsão não chega a ser uma surpresa. No comunicado à imprensa publicado no lançamento da funcionalidade, a Apple já dizia que alguns “recursos, plataformas de software e idiomas adicionais” viriam “ao longo do ano que vem”, sem dar mais detalhes de quando isso vai acontecer.

A Apple recebeu críticas pela demora em adotar recursos de inteligência artificial, enquanto Microsoft e Google foram mais proativos ao abraçar a tecnologia em seus sistemas operacionais e em outros produtos.

Além disso, a marca da maçã foi muito questionada por limitar a Apple Intelligence aos iPhones com chip A17 Pro — ou seja, da linha atual, apenas iPhone 15 Pro e Pro Max receberão as funcionalidades. A empresa alega que, em outros chips, os recursos não seriam rápidos o suficiente para serem úteis.

Com informações: Bloomberg, The Verge

Relacionados