Meta quer usar dados de todos os usuários para treinar IA; saiba desativar

Empresa inclui fotos e legendas de fotos em modelo de linguagem de grande porte. Autoridade Nacional de Proteção de Dados solicitou esclarecimentos.

Thássius Veloso
Por
Ilustração com os ícones de WhatsApp, Instagram e Facebook inseridos numa caixa com a marca da Meta
Gen AI pode usar dados dos canais do WhatsApp e das fotos no Instagram (Ilustração: Vitor Pádua/Tecnoblog)
Resumo
  • A Meta está usando postagens públicas de usuários para treinar IA generativa, incluindo no Brasil, desde o dia 16 de junho.
  • Reguladores da União Europeia e Reino Unido pressionaram a Meta a suspender treinamento com dados de usuários locais.
  • A ANPD busca diálogo para entender impacto na privacidade das pessoas, conforme a LGPD.
  • Usuários podem se opor ao uso de seus dados preenchendo formulário online. É necessário login no Instagram ou Facebook.
  • A Meta promete desenvolvimento de IA de forma segura e responsável, respeitando regulamentações de privacidade no Brasil.

A Meta pretende usar as postagens públicas dos usuários no treinamento de sistema de inteligência artificial generativa – inclusive no Brasil, para desespero de muitas pessoas. Os posts no Facebook e Instagram deverão abastecer a chamada Meta AI (em inglês), assistente pessoal que desembarca por aqui até o fim de julho, conforme divulgado no evento Meta Conversations, realizado em São Paulo há duas semanas.

O assunto traz toda uma polêmica. Os reguladores da União Europeia e do Reino Unido fizeram pressão a ponto de o conglomerado de Mark Zuckerberg suspender o treinamento de IA com dados de usuários por um tempo. Já por aqui, a Autoridade Nacional de Proteção de Dados está em busca diálogo com a companhia para entender o impacto desta novidade na privacidade das pessoas.

Meus dados serão usados para quê?

A Meta diz na documentação oficial que usa informações disponíveis no ambiente online ou em fontes de dados licenciadas, inclusive os dados compartilhados nos produtos e serviços dela mesma. A empresa não revela quais são exatamente estes dados, mas cita as fotos e suas legendas.

Esta autorização começou a valer em 16 de junho. De acordo com a Aos Fatos, a Autoridade Nacional de Proteção de Dados entrou na jogada ao solicitar informações complementares sobre o assunto, tendo em vista a aplicação da nossa Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Homem sorri enquanto segura uma placa ao seu redor. Ao lado dele está notebook.
Foto de Zuckerberg ganhou notoriedade em 2016 porque webcam e microfone estão cobertos por fita adesiva (Imagem: Reprodução/Mark Zuckerberg)

Ao Tecnoblog, a ANPD informou que está em tratativas oficiais e classificou como “essencial” que seja apresentado um aviso claro para que os usuários da plataforma possam decidir sobre o assunto. “Não há transparência quando há surpresas”, diz o órgão.

Por sua vez, a Meta defende que está comprometida com o desenvolvimento de inteligência artificial generativa de “de forma segura, responsável e atendendo as regulações de privacidade no Brasil”.

Não custa lembrar que a companhia esteve sob escrutínio global quando decidiu mudar a política de privacidade do WhatsApp. A medida foi comunicada em janeiro de 2021 e resultou na ação de órgãos como o Procon-SP.

Como se opor?

E quem não quiser que seus dados sejam usados na IA da Meta? Os adeptos das redes sociais podem manifestar a oposição, de modo que suas postagens públicas (note-se: jamais as fechadas, e muitos menos as conversas de WhatsApp) não abasteçam seu modelo de linguagem de grande porte (LLM). O problema é que o procedimento no smartphone requer mais de dez etapas.

A boa notícia é que você pode simplesmente clicar neste link aqui e acessar o formulário digital. É preciso estar logado(a) no Instagram ou Facebook.

Print de página do Facebook
Formulário para retirar informações pessoais do treinamento de IA (Imagem: Reprodução/Tecnoblog)

Preencha seu endereço; escreva na justificativa que exerce seu direito previsto em lei de não ter os dados usados sem consentimento; e envie para empresa. Lembre-se que é preciso entrar no seu email, copiar o código numérico e colar na tela seguinte do formulário para confirmar o procedimento.

O Tecnoblog apurou que a ideia da Meta é retirar os dados dos usuários que opõem à inteligência artificial generativa. Também existe a possibilidade de a Meta adotar um aviso mais evidente conforme a Meta AI comece a chegar aos usuários brasileiros.

Confira destaques do Meta Conversations no vídeo abaixo

Com informações: TechCrunch e Aos Fatos

Relacionados