Microsoft proibirá o uso de celulares Android para funcionários na China

Medida da big tech visa ampliar a segurança em dispositivos e ferramentas usadas no trabalho. iPhones serão usados para autenticação de acesso

Felipe Freitas
Por
• Atualizado há 2 semanas
Logotipo da Microsoft
A partir de setembro, Microsoft usará apenas iPhones para autenticar o acesso a dispositivos e ferramentas de trabalho (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

A Microsoft proibirá o uso de celulares Androids para atividades de trabalho na China. Em um memorando publicado recentemente, a big tech informa aos funcionários do país que apenas iPhones serão utilizados para a autenticação de acesso em computadores da empresa. A medida passa a valer a partir de setembro.

O motivo da Microsoft impedir o uso de celulares Android está ligado ao programa Secure Future Initiative. Este programa da big tech visa ampliar a cibersegurança na operação da empresa. Porém, a medida da Microsoft também está ligada com a fragmentação do Android — e possivelmente com as acusações de espionagem envolvendo celulares chineses.

Nada de Xiaomi ou Huawei dentro da Microsoft

Com a nova política da Microsoft, aparelhos da Xiaomi ou Huawei, por exemplo, não poderão ser usados para o acessar dispositivos ou serviços necessários para o trabalho. Como a Play Store (loja de apps do Google) não é disponibilizada na China, as fabricantes desenvolvem suas próprias lojas.

Play Store (Imagem: André Fogaça/Tecnoblog)
Play Store não está disponível na China, o que leva fabricantes a usarem suas próprias lojas (Imagem: André Fogaça/Tecnoblog)

No memorando, a Microsoft aponta a ausência da Play Store como um dos motivos para proibir o uso de celulares Android em sua operação. Existem acusações do governo americano de que marcas como a Huawei compartilham informações de usuários com o governo chinês. A Microsoft não cita essas acusações no texto — e também não se pronunciou sobre o caso.

Os empregados da big tech utilizam o Microsoft Authenticator e Identity Pass (dois serviços próprios) para acessar dispositivos e ferramentas da empresa. Outro ponto na decisão da companhia é que nem mesmo smartphones da Samsung poderão ser usados.

No lugar do smartphone Android “da firma”, os empregados passarão a usar o iPhone 15. O jornal Bloomberg, que teve acesso ao memorando, não divulgou na íntegra o conteúdo do documento. Assim, não ficou explicado se empregados que possuem iPhones como celulares próprio também terão que usar o novo smartphone da companhia.

Com informações: Bloomberg e The Verge

Relacionados