YouTube agora aceita pedidos de remoção de vídeos com deepfake

Pessoas cuja imagem ou voz aparece em deepfakes podem pedir remoção do vídeo no YouTube, mas não há garantia de retirada

Emerson Alecrim
Por
• Atualizado há 3 semanas
Existe um deepfake "do bem"? (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog
YouTube agora aceita pedidos de remoção de vídeos com deepfake (imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Vídeos gerado com inteligência artificial (IA) são cada vez mais comuns no YouTube. Esse movimento abre espaço para o problema das publicações com deepfakes, ou que imitam o rosto ou a voz de uma pessoa de alguma forma. Mas já é possível pedir a remoção desse tipo de conteúdo.

Um deepfake é uma técnica baseada em inteligência artificial que troca o rosto de uma pessoa ou muda seus movimentos labiais em um vídeo, bem como imita a sua voz, por exemplo.

Há numerosas ferramentas disponíveis na internet para esse fim. Com isso, qualquer pessoa pode criar um vídeo falso que usa a imagem de uma celebridade, de um político ou simplesmente de um desafeto.

Em novembro de 2023, o YouTube prometeu criar regras para coibir esse tipo de problema em sua plataforma, relembra o Register. Em clima de “antes tarde do que mais tarde”, o serviço cumpriu a promessa. Mas há algumas condições para isso.

Só o usuário cuja imagem foi usada pode pedir remoção

Agora é possível solicitar a remoção de conteúdo baseado em deepfakes ou gerados por IA com imagem ou voz de um indivíduo.

Mas o pedido deve ser feito pela pessoa que teve a imagem usada no vídeo, como explica o YouTube: “se alguém usou IA para alterar ou criar conteúdo sintético que se parece ou soa como você, é possível pedir a remoção”.

O pedido de remoção pode ser feito a partir desta página de ajuda do YouTube. Entre os parâmetros analisados para o pedido ser acatado (ou não) estão:

  • se o vídeo é baseado em uma filmagem alterada ou é sintético;
  • se a pessoa pode ser identificada no conteúdo;
  • se o vídeo contém paródia, sátira ou valor de interesse público.
YouTube
YouTube (imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Não há garantia de remoção do vídeo

Esses e outros fatores são analisados por uma equipe de moderação que, se acatar ao pedido de remoção, dará 48 horas para o autor remover o vídeo da plataforma ou editar os trechos problemáticos. Se nenhuma ação for realizada no prazo, o próprio YouTube apagará o vídeo.

Mas, se a equipe de moderação considerar que o conteúdo denunciado não fere os direitos de imagem do solicitante ou não causam outros tipos de transtornos à pessoa, o vídeo poderá ser mantido.

Isso deixa claro que o simples fato de um vídeo conter deepfake não é critério isolado de remoção. Em linhas gerais, o YouTube não se mostra contrário a conteúdo gerado ou complementado com IA. Basta que o vídeo cumpra as diretrizes de comunidade do YouTube.

Relacionados