TB Responde Jogos

10 jogos que você pode ter perdido em 2021

Sem nada de diferente para jogar? Dá uma olhada em alguns games divertidos que podem ter passado batido por você em 2021

Vivi Werneck
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

O ano de 2021 foi bem peculiar para a indústria do games. Com um mundo ainda passando por uma pandemia, muitos estúdios tiveram problemas para dar seguimento em seus projetos. Mesmo assim, apesar dos remasters e vários DLCs, para títulos já lançados, alguns bons jogos saíram… E não estou falando dos AAA, mas sim de games de 2021 que você pode ter deixado passar, em meio aos grandes lançamentos.

Death's Door já está disponível
Death’s Door (Imagem: Divulgação/Devolver Digital)

A seguir, você encontrará algumas sugestões de jogos indies ou mesmo de títulos que saíram juntamente a algum blockbuster e acabou apagado. Se tiver mais sugestões, não deixe de compartilhar nos comentários!

1. Inscryption

Inscryption, da Devolver Digital, foi uma ótima surpresa (fora do eixo dos games AAA) de 2021. Para quem gosta de card games, mas com muitas doses de sarcasmo e um pouco de humor mais sinistro, este game vai divertir bastante. 

Seu personagem acorda numa cabana sendo obrigado a participar de várias partidas de cartas contra uma misteriosa entidade que vive no local. O seu prêmio se vencer? Sua vida! Até porque se perder você vira uma carta do baralho também.

Isso torna o jogo até bem sinistro porque é necessário sacrificar cards para conseguir pontos de sangue, ou seja, você terá que matar cartas sencientes (algumas falam mesmo!) sabendo que um dia elas também tiveram um corpo… Ou quem sabe há mais por trás disso… 

Enfim, sem dar spoilers, minha recomendação é dar uma chance a Inscryption. Ele vai muito além do que se imagina, logo de cara.

YouTube video

Plataforma disponível: PC (Windows).

2.  Ender Lilies: Quietus of the Knights

Ender Lilies: Quietus of the Knights é um jogo de plataforma, em estilo metroidvania, com um belo visual sombrio e melancólico. Para os fãs da série Souls, este jogo faz uma clara homenagem à atmosfera de games da FromSoftware.

Em Ender Lilies, você começa sua jornada num reino conhecido como Land’s End que foi castigado e destruído por uma praga, uma maldição… O resultado disso? Cidades e vilas foram reduzidas a escombros e toda a região agora é dominada por criaturas monstruosas que, obviamente, você terá que enfrentar.

YouTube video

Plataformas disponíveis: PS4, Nintendo Switch, Xbox One, Xbox Series X|S, PC (Windows).

3. Loop Hero

Mais um game publicado pela Devolver Digital nessa lista. Loop Hero é um daqueles jogos “coringa” para se ter: é viciante e roda até em torradeira de tão leve. Todo em estilo pixel art, o título pode até passar a impressão de ser bobinho, mas precisará que você tenha muita atenção para realmente progredir e não só ficar preso no looping, ou seja, exatamente o que os inimigos querem.

Loop Hero usa mecânicas de RPG (com gerenciamento de inventário) com um sistema de card building, que te permite selecionar inimigos e boosts pelo caminho a percorrer (que é gerado aleatoriamente) e, assim, derrotar monstros, conseguir loot e ficar mais forte até enfrentar o “chefe da fase”.

Onde o game brilha é justamente nessa parte. É preciso pensar com estratégia para definir os melhores lugares do caminho para colocar os adversários, ou seja, não crie mais problemas do que você terá condições de enfrentar. É importante também saber onde posicionar boosts, como escolher e combinar os melhores equipamentos e, principalmente, saber quando recuar.

YouTube video

Plataformas disponíveis: PC (Windows), macOS, Linux, Nintendo Switch.

4. Unsighted 

Mais um metroidvania por aqui com Unsighted, do estúdio brasileiro Studio Pixel Punk. Diferentemente do estilo mais tradicional side-scrolling para jogos de plataforma do gênero, Unsighted fixa a câmera no topo da tela para uma visão melhorada do que está acontecendo a sua volta.  

Todo elaborado num belo pixel art, o gameplay é bem inteligente combinando elementos de mais ação à sua mecânica, o que permite combates bem ágeis e, por vezes, contra múltiplos inimigos ao mesmo tempo. Além do modo solo, experimente o cooperativo também. É bem divertido!

YouTube video

Plataformas disponíveis: PC (Windows), PS4, Xbox One, Nintendo Switch 

5. Tales of Arise

Algo bem curioso de Tales of Arise é que este título faz parte de uma franquia de longa data, mas aparentemente pouco conhecida no ocidente. No entanto, se você gosta de JRPGs é bem provável que já tenha jogado algo da série ou ouvido falar. 

Tudo começou lá em 1995, com Tales Of Phantasia, no saudoso Super Famicom (conhecido por aqui como Super Nintendo). O jogo saiu só no Japão, mas foi portado para o PlayStation, em 1998. De volta ao presente, Tales of Arise traz uma história mais profunda e sombria que seus antecessores, além de combinar elementos de sci-fi com toda a fantasia já característica da franquia.

Este game, em específico, é mais acessível para quem nunca jogou nada da série antes (numa tentativa de popularizá-lo, talvez, no ocidente), mas isso não quer dizer que não seja desafiante. Inclusive, esta é uma ótima estratégia para fazer com que mais JRPGs caiam nas graças dos ocidentais. Monster Hunter World, por exemplo, é um excelente exemplo de sucesso quanto a isso.

YouTube video

Plataformas disponíveis: PS4, PS5, Xbox One, Xbox Series X|S, PC (Windows).

6. Dodgeball Academia

Do estúdio brasileiro Pocket Trap, Dodgeball Academia é um divertido jogo de queimado, onde o novato Otto passa a jogar no time da escola e, incrivelmente, consegue habilidades sobrenaturais para tornar cada partida um verdadeiro bombardeio de luzes e cores. 

A maior parte da diversão de Dodgeball Academia é entender como você pode sincronizar seus ataques com outros jogadores de forma estratégica, para pontuar de forma ainda mais devastadora. Felizmente, para a direção da escola, a rivalidade é apenas no esporte e não há banhos de sangue… Só de lágrimas… Dos derrotados.

YouTube video

Plataformas disponíveis: Nintendo Switch, Xbox Series X|S, PS4, PC (Windows), Xbox One.

7. Rain On Your Parade

Rain On Your Parade é um daqueles deliciosos jogos caóticos em que você não precisa se preocupar no porquê das coisas e só joga para se distrair e rir um pouco. No game, você controla uma simpática nuvem que cansou de só ficar lá no céu parada e resolveu levar o caos molhado ao mundo.

O título mistura alguns gêneros, como tower defense, tiro em primeira pessoa, perseguição e outros. Tudo isso com muita piada (algumas boas e outras nem tanto), especialmente ao hidratar (contra a vontade) dezenas de pobres seres vivos. E o melhor de tudo? Se você assina o Game Pass é só baixá-lo.

YouTube video

Plataformas disponíveis: Nintendo Switch, Xbox One, Xbox Series X|S, PC (Windows), Linux, MacOS.

8. Archvale

Essa vai para os amantes do sofrimento de jogos estilo bullet hell, ou seja, inferno de balas ou chuva de tiros mesmo. Com uma pegada meio Binding of Isaac, Archvale é um jogo de aventura em que você precisa (advinha?) enfrentar hordas de inimigos enquanto empunha diversas armas. Conforme for bem sucedido, seu herói avançará para novas áreas, geradas aleatoriamente, enquanto fica cada vez mais poderoso.

Basicamente, o gameplay se resume a ter bons reflexos para desviar de mortais (porém belos) projéteis, dominar a sua arma, coletar loot e criar e melhorar seus equipamentos. E tudo isso é bem divertido. Bom, para quem gosta do estilo. Ah, Archvale também faz parte do Game Pass. 

YouTube video

Plataformas disponíveis: Nintendo Switch, Xbox One, Xbox Series X|S, PC (Windows)

9. Death’s Door

A Devolver Digital meteu o pé na porta esse ano. Essa terceira indicação do estúdio nesta lista é o simpático, divertido e desafiador Death’s Door. No game, você controla uma representação da Morte um pouco diferente e cheia de penas, dessa vez. O ceifador é um corvo que, por uma ironia do seu próprio destino, precisa coletar mais almas do que foi previamente acordado para conseguir salvar a si próprio.

O gameplay, que traz uma mistura de Zelda com Souls-like, é fluido e desafiador na medida certa: perder algumas vezes vai te irritar, ficar cercado neste game pode significar morte certa, mas vencer é recompensador. Death’s Door é menos punitivo que Dark Souls, por exemplo, mas não o subestime.

Fora isso, o título é divertidíssimo e tanto o seu corvinho da morte mudo quanto os demais NPCs são bem simpáticos e serão responsáveis por algumas risadinhas ao longo da campanha também. Vale muito mesmo jogar!

YouTube video

Plataformas disponíveis: PS4, PS5, Nintendo Switch, Xbox One, Xbox Series X|S, PC (Windows)

10. The Artful Escape

The Artful Escape é uma verdadeira viagem psicodélica com muita música e uma história bem interessante. O jogo é um side-scrolling de plataforma e uma carta de amor às influências musicais do artista australiano Johnny Galvatron. O game tem um visual bem vibrante e com forte inspiração em lendas da música, como David Bowie e Bob Dylan. 

No elenco de dubladores, o título traz, por exemplo, Lena Headey (a Cersei Lannister de Game Of Thrones) e Carl Weathers (recentemente como Greef Karga, em O Mandaloriano). O jogo é quase que contemplativo, mas deve agradar aos que curtem belos e coloridos visuais e trilhas sonoras incríveis. Mesmo que não seja tanto a sua praia, vale dar uma chance especialmente porque ele faz parte do Game Pass também.

YouTube video

Plataformas disponíveis: Xbox One, Xbox Series X|S, iOS, PC (Windows), Linux, MacOS

Esse conteúdo foi útil?

Vivi Werneck

Editora-Assistente

Vivi Werneck é especialista em games e trabalha no mundo tech há 15 anos. Em 2018, recebeu o Prêmio Comunique-se como melhor jornalista de tecnologia. Já escreveu para revistas de games pioneiras no Brasil, como EDGE, PlayStation Brasil e EGW. Também é veterana em eventos de jogos, como a BGS e E3 (inclusive, presencialmente). Hoje, ela é editora-assistente no Tecnoblog, editora no Meio Bit e apresenta o Hit Kill.